segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Não à Homofobia

Não à Homofobia...
A violência contra homossexuais aumenta a cada dia no Brasil, o que torna o tema bastante discutido. Atualmente esse tipo de violência está em todo lugar. A cada dia mais e mais homossexuais tem seus direitos violados, são desrespeitados, agredidos e assassinados. Simplesmente pela orientação sexual.
Assistimos a tudo pela TV, nos revoltamos, ficamos indignados, nos comovemos. Mas a vida logo toma sua rotina. Até que outro caso novamente venha ocupar os noticiários.
Alguém já parou para pensar que a próxima vítima, o rosto desfigurado ralado no asfalto ou o corpo escondido no matagal poderia ser um grande amigo seu? Ou seu vizinho? Ou o rapaz que canta na igreja?
Quem sabe um conhecido seu que até então você desconhecesse esse seu lado homossexual? Sim, porque apesar das conquistas já adquiridas, uma maior exposição e visibilidade aumentada nos dias de hoje depois do surgimento da internet, muitos ainda se escondem nas sombras. Talvez com medo de represálias seja da própria família ou da sociedade ainda preconceituosa.
Eu jamais imaginaria que aquele rapaz simpático e discreto, tímido e educado que animava as celebrações eucarísticas no domingo ao lado da tia, teria sua vida arrebatada assim de maneira tão brutal.
Estava feliz, testemunharam amigos mais próximos. Tinha conseguido um bom emprego na cidade vizinha. Talvez por isso tenha se afastado há pouco tempo do ministério da música. Morava com os avós. Uma boa família. Um tio ordenado sacerdote recentemente.
Não posso afirmar, mas talvez estivesse em conflito com a própria sexualidade.
Depois de 24 horas desaparecido, uma denúncia anônima levou os policiais ao local do crime. O corpo foi encontrado camuflado num matagal nas proximidades da cidade. Um crime com requintes de crueldade, marca registrada dos torturadores com motivação homofóbica.  Um crime com alto grau de perversidade. Ao lado do corpo, preservativos. Indícios de que o crime tinha conotação sexual.
Os criminosos? Três menores adolescentes. Certamente a Lei os protegerá. Alguns meses de internação na Fundação Casa e logo estarão nas ruas prontos a fazer a próxima vítima. Não é sempre assim que acontece?
Desnecessário seria que já estivesse em vigor a lei que tramita no Congresso com o intuito de tipificar o crime contra homofobia.  Uma Lei específica para punir atos preconceituosos contra homossexuais. Certamente os adolescentes não estariam inclusos nela. O Estatuto do Menor os protegeria.
Quanto à Lei, há duas correntes. Os que aprovam e acreditam que tipificar o crime pode amenizar o problema. E há aqueles que desaprovam fundamentando-se na tese de que na constituição já existe uma disposição legal para coibir tortura e terrorismo contra qualquer pessoa. Portanto não haveria necessidade de mais uma Lei que apenas iria apontar o preconceito e fortalecer a diferença. Ao invés disso, a preocupação deveria ser em educar o ser humano para que desde muito cedo aprendesse a conviver com as diferenças e não desenvolvesse qualquer tipo de intolerância. Pessoas são pessoas e não deveria existir diferença de tratamento para ninguém, seja qual for a sua orientação sexual, raça, cor ou religião.  Devemos ser contra qualquer tipo de agressão e violência, independente de sexualidade.
E você o que acha?

2 comentários:

  1. OLÁ MINHA AMIGA, EU ESTAVA MORRENDO DE SAUDADES DE VOCÊ!!!!!!!!

    Edite, nem preciso dizer-lhe que concordo contigo em gênero, grau e número, né?

    Sou totalmente contra a qualquer tipo de preconceito. Acho que a única coisa que nós, seres humanos, temos que ter, e por obrigação, é bom caráter.

    O resto é simplesmente questão de opção.

    Adorei sua nova casa.

    ResponderExcluir
  2. Olá Ana! Prazer em te receber no meu novo kantinho. Eu tb estava ansiosa por encontrar vc por aqui.
    e Não é mesmo fofo o meu neto?
    Bem, eu sou suspeita em falar... Corujíssima
    Abraços

    ResponderExcluir