quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

a tradição do Bom Ano Novo"


A tradição do “Bom Ano Novo”

 Há exatamente um ano eu postei neste espaço um texto sobre a tradição do “Bom Ano Novo”, que ainda se cultiva por aqui.
Para quem não se lembra no dia 1º de janeiro as crianças saem bem cedinho de suas casas, munidas de sacolinhas e vão fazendo sua peregrinação pelas ruas da cidade.
“Fica determinado que neste dia é proibido dormir até mais tarde”. Elas vão batendo de porta em porta e fazem a saudação: ”Feliz Ano Novo!”, e recebem suas guloseimas.  Algumas pessoas se incomodam com essa pequena “invasão”. Mas outras se postam na frente da casa com pacotinhos já preparados para as crianças que passarem por ali.
Normalmente aqui em casa essa incumbência fica a cargo de meu esposo. Na semana anterior ele já providencia as guloseimas de forma que todos sejam atendidos. Acredito que esse seu zelo extremo seja motivado por recordações agradáveis da infância. E assim, colabora para manter a tradição.
Neste início de ano, devido a uma pequena indisposição viral, esta tarefa foi delegada a mim. Então tive a  feliz idéia de registrar esse momento para que não se perca como está se perdendo a tradição. Muitos não a conhecem, nem mesmo ouviram falar.
Estas crianças em minha porta me fazem olhar para o futuro com mais esperança. Mas ao mesmo tempo também temerosa pelos rumos que a nossa sociedade cheia de conflitos está tomando.
Crianças abandonadas, maltratadas, fora da escola, exploradas no trabalho e também sexualmente. Falta educação, falta saúde, falta quase tudo...
Olho para esses rostinhos. Uns mais espontâneos outros mais tímidos ou inseguros. Cada rostinho desses representa simbolicamente um Joãozinho ou uma Maria esquecidos em algum canto desse mundão de meu Deus
Cada rostinho desses me faz pensar em acolhimento, proteção, segurança, educação, religião...
É a ocasião me colocando diante da realidade nua e crua da vida...
É a vida me convocando a assumir o meu compromisso de cristã...

5 comentários:

  1. Oi Edite!
    Aqui não temos esse costume. Que pena! Fiquei curiosa, o que seria esse cedinho? E o que eles ganham, tem alguma ação com o próximo ou fica pra eles comerem em família?
    Que bom que deixou nascer o kantinho da fé... Vou lá dar uma espiada e sei que vou gostar . Claro que vou divulgar com muito carinho!
    abraços

    ResponderExcluir
  2. Eu não conhecia esse costume...

    Mas devo dizer que achei a coisa mais linda!!!

    ResponderExcluir
  3. Olá Imaculada !
    Olá Ana!

    Infelizmente a tradição do bom Ano Novo está ficando esquecida. Em outros tempos era mais amplamente divulgada.Acredito que só algumas pequenas cidades do interior ainda a praticam.
    A correria frenética dos nossos dias acaba voltando a atenção das pessoas para outros interesses. Como resgatar antigas tradições? Elas vão ficando esquecidas, outras tomam seus lugares . É assim a vida. Mudanças culturais acontecem, mas enquanto houver crs batendo à minha porta em dia de Ano Novo, pretendo estar ali para recepcioná-las. Abraços a vcs e obrigada pela visita

    ResponderExcluir
  4. Ah, Edite! Que saudade desse tempo... Já se vão anos que saí da cidade pequena e que não vejo mais este costume. E também, na cidade grande isto não existe e se existisse imagine o que aconteceria com uma criança que batesse nas portas às 6,7 horas da manhã... É Imaculada, este é o "cedinho" deles!

    ResponderExcluir
  5. É, Angela. O ritmo frenético dos grandes centros, a insegurança nos dias de hoje , os tempos modernos acabam por extinguir belos rituais da infância. É isso mesmo, os mais ansiosos cerca de 6h da manhã já estão batendo palmas ou tocando a campainha. E lá se foi o dormir até mais tarde... Mas, é por uma boa causa. a gente dorme depois. rsss

    ResponderExcluir