quinta-feira, 22 de março de 2012

Ainda a questão das sacolinhas.... E como fica na prática?


O texto acima, mostra o teor da campanha na teoria. Citando
 exemplo de como funciona na prática, narro uma experiência minha.

Estou sempre passando por constrangimentos na hora da compra.
Aqui na minha cidade ainda não foram abolidas as sacolinhas plásticas, o que ocorrerá a partir de abril.
Talvez por isso eu esteja tendo tanta dificuldade em aderir ao novo hábito.
Acontece que sempre que vou à cidade vizinha, onde já vigora a lei, eu nunca me lembro de colocar na bolsa uma sacola reutilizável.
Sei da importância do gesto, mas acostumada com a praticidade antiga, acabo me distraindo e nunca estou preparada para as compras. Depois, também muitas vezes saímos sem intenção de comprar algo. No caminho nos lembramos de alguma necessidade e olha só... podemos ficar impedidas de adquirir algo no momento por ausência de embalagem. Ou se ver forçada a adquirir sacolas oferecidas pelo supermercado e assim acrescentar um gasto a mais na compra.
Isto está sempre acontecendo comigo. Semana passada, saí para ir ao médico. Passando em frente a uma livraria . Entrei apenas para ver se algum exemplar me atraia. Acabei adquirindo tres volumes.
Dirigi-me ao caixa completamente absorta naquilo que havia comprado que não me ocorreu estar desprovida da tal “reutilizável”.
O caixa simplesmente recebeu e colocou os volumes em cima do balcão como se dissesse: “Não tem sacola para carregar? Isso não é da minha conta”
De outra vez, entrei num shopping “tend tudo” e comprei alguns pacotes de balas. Resultado: saí com os pacotes nas mãos.
Pode parecer displicência , mas tenho conversado com outras pessoas que como eu estão encontrando dificuldades em aderir ao novo hábito: “ter sempre na bolsa uma sacola reutilizável para eventuais compras”.
Por outro lado, acho um desrespeito pelo consumidor , o comércio não oferecer nenhuma alternativa num momento embaraçoso deste. Afinal todos sabemos que hábitos arraigados são difíceis de mudar.
São poucas as lojas que nos socorrem oferecendo uma sacola de papel ou TNT.
Nos vários sites de pesquisa que busquei, descobri que a última nota oficial do procon determina que: “os estabelecimentos devem oferecer uma alternativa gratuita para que os consumidores possam finalizar suas compras de forma adequada, devendo essa medida ser adotada pelo tempo necessário à desagregação natural do hábito de consumo”. E mais: não havendo opção gratuita, o supermercado deverá oferecer gratuitamente as sacolas biodegradáveis”.
O consumidor está amparado pela legislação inclusive paraa exigir o oferecimento gratuito das sacolas sejam plásticas ou biodegradaveis.
Sou a favor da iniciativa"vamos tirar o planeta do sufoco”. Mas também sinto na pele a dificuldade em aderir a novos hábitos. Mas temos de começãr de alguma forma. Em alguns lugares o comércio colabora na conscientização oferecendo gratuitamente as reutilizáveis ao consumidor. Uma maneira simpática e respeitosa de abordar o consumidor.
Que bom seria  se todos tivessem a mesma atitude.
 O consumidor precisa ser respeitado. Hábitos adquiridos há pelo menos 3 décadas não mudam assim da noite para o dia.


Vamos ser mais racionais e menos radicais!
adote uma e vamos às compras...


Nenhum comentário:

Postar um comentário