quinta-feira, 21 de junho de 2012

Inverno e...muita chuva!



E o inverno chegou...trazendo muita chuva e muito frio.
Aliás, aqui pela minha região, o frio já mostrou sua cara já faz um tempinho.
Muita chuva desde o princípio do mês, um friozinho que só nos convida ao aconchego do sofá com um boa manta bem quentinha.
Dependendo do ponto de vista de cada um , dias como o de hoje, onde não parou de chover um minuto sequer e a temperatura parece cair com o passar das horas, podem ter muitas interpretações.
Alguns podem achá-los mágicos, pois gostam desse sossego, do ficar recolhido em si mesmo, do escutar o som dos pingos caindo lá fora.
Para outras pessoas pode parecer entediante ter que ficar um pouco mais reclusas, impedidas de comandar sua rotina diária ou ter que desmarcar alguns compromissos.
No meu caso, por exemplo, sem horários a cumprir, sem compromissos inadiáveis, gosto dessa tranquilidade que me deixa bem à vontade obedecendo os desejos de meu corpo.
São desejos normais e possíveis a qualquer mortal e em qualquer estação, mas que em dias de chuva tornam o momento mais íntimo e agradável.
Acordar pela manhã e obedecer ao desejo do corpo de ficar mais um pouquinho na cama. Ah!... é maravilhoso não ter nada que te impeça de realizar o seu desejo.
E depois do almoço, aquela encostadinha no sofá, debaixo de uma mantinha bem aconchegante … 
O chocolate quente na frente da TV ou sentada muito bem agasalhada com um livro no colo...
Ah, mas eu não devo ficar assim hibernando o mês todo, ou todo o período que fizer esse tempo irremediável. A vida precisa continuar. Mas enquanto isso eu aproveito...
A chuva já há duas semanas me fez desmarcar o encontro de catequese. Estava impossível sair de casa debaixo de tanta chuva e tendo que caminhar até o local do encontro, que por sinal nesta semana era muito longe. Não podia expor as meninas a um clima tão instável.
Nada que não possa ser remediado, porque depois há a reposição, mas a sequência e a motivação ficam prejudicadas.
Ontem também não pude dar a aula de reforço em alfabetização que ministro em casa a uma criança da vizinhança.
A chuva intensa impediu que ele viesse, mas hoje mesmo debaixo de chuva ele chegou. E eu já nem esperava mais, porque chovia até um pouco mais que ontem e está até mais frio.
Mas ele mesmo assim veio, o que me deixou contente pela demonstração de interesse dele e por também me tirar da inércia. Fiquei tão animada com sua chegada que nem vi a hora passar, apesar do frio intenso que incomodava. A aula foi bem produtiva.
Fico pensando no transtorno que deve ser em dias como os de hoje para pessoas que precisam se deslocar longas distâncias para trabalhar ou estudar. O congestionamento no trânsito, as poças dágua na rua, quando não alagamentos, as filas nos pontos de ônibus, o caminhar à pé ...
E aquelas pessoas então que nem tem um teto, uma cama, um prato quente, um agasalho...
É época de aquecer nossos  nossos corações e procurar ajudar de alguma maneira e na medida do possível pessoas que estão ao nosso lado. Não precisamos ir longe para prestar esse tipo de ajuda. Muitos estão próximos de nós  e muitas vezes distraídos ou atarefados que estamos, nem percebemos.
Frio, para muitos pode significar hora de mostrar a elegância, adquirir belos casacos, belas botas. Mas para tantos representa sofrimento, época difícil.
Bem ,eu que sentei aqui na frente do micro e pensava que não tinha nada para escrever, acabei escrevendo muito e jogando conversa fora ao falar banalidades como minhas impressões pessoais sobre dias assim de inverno.
Mas, aqui entre nós, chuva é bom. Já escrevi outros textos falando sobre isso. Mas garanto que muitos de nós estamos torcendo para ver a luz do sol!
E que venha o sol!



4 comentários:

  1. Precisamos d chuva,mas precismos ver a luz do sol...beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Vivaaaaaaaaaa...hoje ele apareceu!!!!

    ResponderExcluir
  3. Realmente, Edite, toda história tem dois lados.

    Enquanto algumas pessoas podem dar-se ao luxo de ficarem deitadinhas na cama, vendo os pingos da chuva baterem em suas janelas e depois tomarem um copo de chocolate quente, outras estão nas ruas, encolhidas debaixo das marquises, torcendo para parar de chover...

    Ontem eu não fui correr porque choveu muito pela manhã e à tarde eu tinha compromissos. Hoje eu corri e quando entrei em casa, começou a chover.

    Já faz um tempinho que por aqui também está friozinho. Mas eu, insistente que sou, continuo correndo de madrugadinha.

    Acho que na 2ª feira sairei um pouquinho mais tarde...

    ResponderExcluir
  4. Tinha certeza que sim Ana, vc é mesmo persistente. Aq tem chovido tanto, que realmente não tem dadao pra colocar atividades físicas em dia.
    Sabe, eu penso muito nesta questão que vc citou no 1º parágrafo. Às vezes até sinto-me um pouco privilegiada demais. Tenho tanto, enqto outros tem tão pouco ou nada. Mas, procuro ajudar na medida do possível.Não é hipocrisia não, pode acreditar, mas se eu pudesse cobriria o frio do mundo. É muito dolorido passar frio...

    ResponderExcluir