quarta-feira, 1 de maio de 2013

Empregados domésticos celebram conquista histórica



Neste dia primeiro de maio a classe trabalhadora de domésticos têm muito a comemorar. . Após a sançao da PEC em abril deste ano , trabalhadores domésticos tiveram a regulamentação de sua profissão, dando-lhes garantias de uma série de direitos trabalhistas antes apenas usufruídos pelos trabalhadores sobre regime CLT.
Entre algumas mudanças estão a inclusão na jornada de trabalho máxima de oito horas dia´rias e 44 horas semanais, assim como o pagamentos de horas extras, adicional noturno , seguro desemprego entre outras já conquistadas antes.
Todas essas inclusões de direitos trabalhistas vem sem dúvida alguma valorizar o trabalho do profissional doméstico, assim como também incidirá no reconhecimento pela sociedade.
Realmente um grande avanço para a classe, cujpo trabalho representa um aspecto marcante de nossa sociedade.
Hoje ainda ouvi numa programação que essa conquista de direitos para as domésticas representa uma 2ª abolição da escravatura. Parece um pouco pesado pensar assim em relação ao trabalho doméstico. Mas não nos esqueçamos que a profissão da empregada doméstica remonta ao tempo da escravidão., onde os patrões exerciam seu poder sobre todos que se encontravam sobre seu domínio. Era a mulher negra que acalentava e amamentava o filho do patrão , cuidava das necessidades domésticas dos filhos e também das famílias de escravocratas.
Abolida a escravidão, o trabalho doméstico representou a possibilidade da colaboração das mulheres negras no sustento da família, sendo que em outros tempos muitas se obrigavam a trabalhar em troca de alimentação e moradia, continuando assim subjugadas a jornadas similares à escravidão.
Sem dúvida, esse é um histórico da abolição incompleta do Brasil, que com a nova PEC poderá traçar novos rumos para essa classe social.
Nessa nova regulamentação estão inclusos “todos aqueles que prestam serviços de natureza contínua e de finalidade não lucrativa à pessoa ou família no âmbito residencial dessas”. Ou seja, a casa agora praticamente passará a ser uma empresa doméstica.
Assim serão beneficiados também cuidadores de idosos, motoristas, jardineiros, vigias, etc...
E como toda mudança traz preocupação, a lei gerou muita polêmica entre aqueles que precisam do trabalho desses domésticos, pois arcar com os custos acabará por ficar um pouco dispendioso.
Há também a preocupação de algumas domésticas, que diante das novas exigências estão temerosas de demissão. Outras já o foram logo após a aprovação da PEC.
Levará um tempo para a completa adequação de patrões e empregados.
O Programa Mais Você de ontem, com o objetivo de ajudar patrões e empregados domésticos, discorreu sobre o assunto e postou planilhas e vídeos que ajudará as famílias e empregados a se adequarem à nova proposta empregatícia .
Se você tem dúvidas e está com a dificuldade em manter sua rotina diária sem precisar dispensar ssua doméstica, clique no link abaixo.
Vale a pena conferir!


planilha de organização e divisão das tarefas domésticas

dicas de organização doméstica

 Podera também gostar de:
 
 trabalhador rural

8 comentários:

  1. 44 horas por semana? horas demais!
    8 horas dias cuidando de casa? horas de mais!
    empregada fazer as camas? até mesmo Tiger Woods foi criado fazendo sua própria cama, inclusive qdo se hospeda em hotel.

    empregada doméstica passa a ser luxo e luxo tem quem pode... ganha melhor ser faxineira que deveria trabalhar por serviço feito e não por horas trabalhadas... tenho uma pessoa que faxina minha casa a cada duas semanas e se o serviço não é feito em 5 horas já me incomoda... suporto 6 horas e fim de conversa... e em meio ao serviço é servido um chá ou um café... durane a limpeza, após as 13horas pode ir tomando uma cerveja em dia de calor ou uma caipirinha no inverno... quem faxina minha casa é um homem... depois do serviço feito, passa a ser visita... e não sou cheia de fricotes com limpeza de casa... a limpeza da minha casa nunca começa antes das 10horas da manhã, sempre aos sábados ou aos domingos... por conta dessa mentalidade sempre tive sérias rusgas com minha família, burgueses deslumbrados brasileiros.
    Paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc disse tudo: empregados domésticos passam a ser luxo!!!!!

      Excluir
  2. Os fazedores de leis eleitoreiras em nenhum momento, raciocinaram que as nossas casas não são empresas comerciais.Acho justíssimo a regulamentação da profissão, mas com os critérios devidos.Agora o que vai resultar isso tudo? Demissões e mais demissões. Esses nossos políticos precisam tomar juízo.
    Os menores estão matando,enlutando famílias e famílias brasileiras todo santo dia, e nada é feito, por eles, com a urgência que merece o assunto.
    O Brasil é assim!
    Que o nosso Deus nos proteja!
    Abração.

    ResponderExcluir
  3. Bem vedade Tunim. Nossas casa não são empresas comerciais, mas com a nova lei passaraãoa ser. E...as demissões já começaram.. Tudo vai resultar em aumento da informalidade, que já não era pouca.
    Abcs

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? isso ainda era rsequício da nossa escravidão que foi abolida em 1888!!!!!! Só em 2013 ganharam seus direitos. Loucura! Bjs, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Fábio, em questões de direitos humanos, o país ainda está rastejando...

      Excluir
  5. Pois é, Edite! É realmente um ganho importante para essa classe de trabalhadores. Porém, é fato: até que se estabilize toda essa mudança, muita gente terá dúvidas e, pior ainda, acredito que haverá muita demissão. Algumas demissões, talvez por medo e desconhecimento, ainda, de todas as regras. Outras, por real falta de condição dos patrões, conforme cada caso, de assumirem tudo isso.
    Afinal, a casa da gente não é uma empresa, propriamente dita.
    Eu tenho uma ajudante muito querida, minha fiel escudeira como a chamo, na verdade nos chamamos muito de AMIGA e AMIGUINHA. De confiança, alegre, prestativa, competente. Ela tem um salário acima da média, para trabalhar 3 vezes por semana na minha casa. Tem carteira assinada desde o começo, pago o INSS dela (a minha parte, a dela é descontada do seu salário), tudo direitinho. Pago a passagem que não é barata, afinal, ela mora bem distante.
    Para mim, as mudanças não são tão significativas, no final das contas. Exceto pelo Fundo de Garantia, que ainda preciso ver como precisará ser tratado.
    Mas sei de gente que não terá a menor condição ou vontade, infelizmente, de bancar essas mudanças e com isso, a informalidade poderá crescer.
    Sem contar que muitas domésticas preferem trabalhar como diaristas, porque ganham bem mais assim, enfim, isso vai dar pano para manga. Mas, que esses trabalhadores precisavam há muito tempo de uma lei mais favorável, sem dúvida. Apoio totalmente. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida, é um grande passo na legislação para empregados domésticos e tb para patrões ,pois cada um tendo os seus direitos garantidos muito se evitará de casos que vão parar na justça para acerto de contas. Arcar com todos encargos para muitos ficará difícil.E muitos vão ter que por a mão na massa , como mostrou a reportagem do "mais você"

      Excluir