quarta-feira, 31 de julho de 2013

Me aqueça neste inverno!

Enfim, os termômetros deram uma trégua e hoje , aqui no oeste paulista já pudemos usufruir de uma temperatura mais amena. O dia amanhece frio mais vais esquentando com o passar das horas voltando a esfriar pela tardinha e madrugada.
Há aqueles que dizem gostar do inverno . Para muitos o inverno é uma estação inspiradora. 
Escritores e cineastas dela se beneficiam produzindo belos textos ou filmes com cenários incríveis onde o mocinho herói da trama vence a nevasca ao encontro de sua amada. Ou ao contrário, a mocinha passa longas noites ao pé da lareira tecendo um agasalho para o amado enquanto revive em pensamentos, momentos que ficaram para trás.
Grande parte das mulheres se inspiram na moda de inverno europeia e produzem looks fabulosos fazendo belas sobreposições de blusas, casacos, echarpes, ou xales.
Eu particularmente não gosto desse inverno rigoroso de dias atrás. Fico mais lenta, menos produtiva e abstenho-me de sair de casa. Prefiro ficar hibernando,enrolada num cobertor...
 E acho difícil encontrar um look que não apenas fique elegante, mas que realmente aqueça.


Esta imagem me lembra do tempo em que meus filhos madrugavam para tomar o ônibus que os levaria até o colégio na cidade vizinha. Manhãs frias, geladas...Vida de estudante, sofrida, mas frutuosa...
Difícil ficar elegante numa madrugada com temperatura baixíssima, muitas vezes abaixo de zero!

Como por aqui não temos lareira, um item completamente dispensável para nós paulistas, a gente se vira com bebidas e caldos quentes como paliativo para este inverno rigoroso.
Vivemos num país tropical e não estamos acostumados com esse frio que dói. Nossas casas não possuem aquecimento e também nossos agasalhos não são fabricados para suportar temperaturas negativas.
Resultado: inverno rigoroso, temperaturas baixíssimas é sofrimento na certa. 



Se nós morremos de frio dentro de nossas casas, sobrepostos de cobertores e blusas aconchegantes,imagine esse pobre coitado ao relento
Ficamos reclamando do frio intenso, da necessidade de levantar cedo, da água do banho que não atinge a temperatura adequada, enquanto muitos sobrevivem assim, durante o inverno. Ou morrem de frio...



Sem um teto, sem agasalho suficiente


No abandono, sem afeto...
O frio da indiferença é ainda mais doloroso....

 Durante a homilia na missa celebrada na Catedral Metropolitana do Rio, para bispos, padres e seminaristas, o papa Francisco atacou duramente o modelo econômico capitalista. "É um modelo que deixa de fora o velho, o que está abandonado na rua. Parece que o homem só pode se guiar pela eficiência e pelo pragmatismo", afirmou, dizendo que os religiosos não podem ter medo de ir contra essa corrente. "Essa cultura atual está escondendo a solidariedade", disse o Papa.mas sair ao encontro de irmãos e irmãs que estão na periferia. Não se pode ficar fechado na igreja enquanto tanta gente precisa do evangelho". "Temos que começar pela periferia, pelos que estão fora da igreja",

Esta é a solidariedade pregada por Cristo, nas palavras do  Papa Francisco: "Ir ao encontro do próximo" 

E todos podemos. Basta sair de nossa  zona de conforto e olhar um pouco mais além! 


poderá gostar de;

8 comentários:

  1. Inverno é uma época que nos preocupa ainda mais com quem nada ou muito pouco tem. Podemos fazer nossa parte! beijos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu considero o inverno uma estação que deve mover o coração das pessoas p/ quem pouco tem.

      Excluir
  2. Olá, tudo bem? Aqui em São Paulo, o bicho pegou!!!! Esfriou muuuuuito. E para sair do banho de manhã? Tortura.. Tortura. Rs.. Bjs, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
  3. O Papa criticou o capitalismo, mas não apresentou o modelo ideal... já sabemos no que dá o comunismo. Sair às ruas pregando o evangelho muda o capitalismo? -- Desculpe-me, Edite, não quero levantar polêmica a troco de nada, apenas acho que qdo um Papa, pessoa com tanto preparo e desenvolvimento intelectual e spiritual, critica um sistema especificamente, ele tb deveria apresentar o que possa se tornar solução prática. Qual o modelo político italiano, país do papado? E como é a pobreza na Itáia?
    Paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Papa , Paz pregou a mensagem da humildade, partilha e solidariedade, explícita no evangelho. Acredito que se os homens pensagem um pouco mais no próximo e não apenas em seus próprios interesses, algo poderia ir se transformando aos poucos. A mensagem de Cristo nos dias de hoje parece utópica, e é justamente isso que a igreja quer recuperar. è claro que não haverá mudança de um dia para o outro, como num conto de fadas, mas a Igreja não pode cruar os braços, como mesmo disse o papa, exortando toda o clero a não se "endeusar" mas estar no meio do Povo. Falou tb de como a Igreja está anos atrasada, e da necessidade de se ter uma Igreja mais atualizada. Como? Não sei, pq não se pode fugir daquilo que Jesus pregou. Mas , reconhecer que é necessário uma mudança já é um caminho.
      O papa disse bem quando fala que nossa sociedade exclui os menos favorecidos, o velho, o morador de rua. Sei que é tudo muito complexo e q nada acontece assim num zás trás, mas cada um reconhecendo seu papel na sociedade, sua postura em relação ao próximo será outra.
      .
      Esta é minha posição.

      Excluir
  4. Sim, Edite, sua posição eu sei através de ler seus vários posts; minha abordagem foi ler que o Papa criticou o modelo capitalista como sendo a única razão das mazelas do mundo qdo bem sabemos que antes de existir o capitalism já existiam as mesma misérias humanas que grassam hoje. Não sou contra a pregação do evangelho, pois sou assídua leitora da Bíblia... leio todos os dias, mais de uma vez ao dia; porém sair pregando o evangelho não trará a solução para resolver os problemas sociais que o Papa atribui ao capitalismo. Por exemplo, o controle da natalidade precisa ser altamente considerado e praticado.
    Paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com vc Paz.A igreja precisa rever alguns "quesitos" . O papa mesmo reconhece que a Igreja está ultrapassada em alguns assuntos. Mas tudo demanda tempo. Vamos aguardar pelas reformas prometidas.. Obrigada pela participação.

      Excluir