terça-feira, 7 de outubro de 2014

Rejuvenescer!





É tempo de seca
tempo de estiagem
Tempo de ar rarefeito
Casa empoeirada...
folhas secas a rodopiar
A chuva adormecida
Indolente descansa
Enquanto os prados outrora verdes
Padecem de tanta secura

Manhã ventosa
Folhas secas estalando sob os pés
Ventania louca... nada para no lugar
As roupas no varal
Brincando fazem malabarismo
A brancura maculada pela fuligem do ar

o céu se avermelha...
Nuvens plúmbeas toldam o céu

Instantes depois ela derrama
Caindo em gotas preciosas
Como um presente derramado dos céus
Nestes dias de sequidão e fumaça

Os primeiros pingos reticentes
Trazem o cheiro da terra molhada
Fazendo-me lembrar da infância
Pés descalços no quintal
A dança da chuva ensaiando

Aos poucos o céu se faz
Um grande mar nas Alturas
E derrama com sofreguidão
Água em grande abundância
Que escorrem pelo chão...

Pela janela a brisa fresca toca meu rosto
Um arrepio corre pelo meu corpo
As plantas ali agradecidas
Presenciando o despertar da Natureza
Sentindo o próprio rejuvenescer.

A Natureza é sábia
e sempre traz uma lição
observe com atenção
O seu despertar é para nós um convite
É tempo de absorver a energia da Terra
Revigorar e também  rejuvenescer...

10 comentários:

  1. Edite,
    Como você escreve bem!
    Parabéns pela bela poesia
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho Dorli, mas de poeta não tenho nada. Apenas de vez em quando as palavras vão saindo e acaba assim.. Meu antigo professor de português deve estar "revirando no túmulo" rsss...

      Excluir
  2. Gostei do seu poema. Fui acompanhando sua visão e seu sentir, já que o tempo por aqui contém o vento mencionado, a produzir as mesmas consequências. Mas não chove. A natureza espera. Nós também. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Você descreveu um fenômeno que talvez não seja muito comum em sua região, com muita sensibilidade, a seca.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Oi Edite, boa tarde!
    Que lindo seu texto...
    No interior de SP,
    muita sequidão...
    faz tempo que não cai uma chuva abundante.
    bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi Edite! que texto lindo... e realmente, num tempo de estiagem quando o céu rompe em água é festa! BJks Tetê

    ResponderExcluir
  6. Oi Edite, que lindo!
    Vim lhe desejar uma ótima semana, beijos!!

    ResponderExcluir
  7. Que lindo poema! no meu país estamos com chuva em excesso e só agora começou o Outono!
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem? São Paulo está mais para o deserto do Saara!!!! Rs... Está complicado.... Bjs, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
  9. Edite,que maravilhosa poesia mostrando o momento que a chuva chega! Estamos precisando demais dela por aqui em Sampa! bjs,

    ResponderExcluir