sábado, 29 de novembro de 2014

Pequenina Joaninha

Nesta semana , nossa"joaninha virtual" fez aniversário.
Nossas homenagens àquela que voando aqui  e ali , sempre traz em suas asinhas pedacinhos de felicidade traduzidas em palavras de carinho e estímulo.
Chica, querida amiga virtual,  com tantos jardins próprios para abastecer,  nunca deixa também de aterrissar em nossos canteiros .  E assim suas palavras vão germinando aqui e ali , sempre traduzidas em frutos do bem, sabores de amor e esperança.
Chica, querida amiga fiel  . Gostaria  de te dizer mil coisas , já tão repetidas por aqueles que a amam. Claro que palavras que demonstram afeto e amizade nunca são  demais.
 Mas , eu quis fazer algo diferente . E ousando diante de tão conceituada escritora , fiz esses simples versos , inspirados pela pequenina joaninha que fotografei no meu quintal:




Pequenina Joaninha 
perdida em busca de sol
pequenina Joaninha 
Veio pousar no meu lençol 

Pequenina Joaninha 
arrastando suas asinhas
pequenina Joaninha 
Pousa também na minha plantinha

São tantos os canteiros a visitar
Palavras de carinho disseminar 
belos céus a nos mostrar
Pequenina Joaninha
Nunca deixa de aqui também pousar
  
FELICIDADES!CHICA! SEMPRE!
QUE DEUS A GUARDE NA PALMA DE SUA MÃO

domingo, 23 de novembro de 2014

Bênçãos em forma de flores




Às vezes eu saio caminhando por aí
às vezes com destino certo
em outras não.
Mas em todas as vezes meu olhar está atento
uma andorinha que voa
um carro que passa
  alguém que de longe me acena
o verde das árvores
o colorido das flores
borboletas ocasionais
dias nublados ou ensolarados
Tudo está no seu lugar
cumprindo um ritual cuidadoso

Meus olhos não se cansam
Vagueiam aqui e ali
e de longe captam essa beleza florida
Já tenho observado
está nos quatro cantos da cidade
a nos alegrar com seus cachos dourados.
Chuva-de-ouro
Fístula amarela
Cássia Imperial
Amor em penca
Qual seja a denominação que lhe deem
Fico ali a admirar flor de tamanho esplendor
Para mim seus cachos
nada mais são 
que bênçãos em forma de flor  
Um presente do Criador !



Belíssima árvore que desabrocha na transição das estações primavera /verão. Seus cachos podem atingir 30cm de comprimento chamando a atenção de quem a observa e embelezando praças e jardins . 
Aqui em minha cidade , multiplicou-se em abundância. Suas sementes necessitam de quebra da dormência para uma melhor germinação. Mas eu acredito que levadas pelo vento, acabem por germinar tendo a dormência quebrada pelo próprio calor do sol. Muitas se encontram em barrancos e beiras de estrada, indicando ali a germinação espontânea por ação do vento e calor do sol. 
Planta ornamental, ideal para ser plantada em calçadas ou jardins pois não apresenta raízes agressivas , favorecendo então um visual esplendoroso aos observadores mais atentos.



sábado, 22 de novembro de 2014

construindo sobre bases sólidas

 
Construa com Sabedoria"
 Valtair Freitas
Um velho carpinteiro estava pronto para se aposentar.
Ele informou ao chefe seu desejo de sair da indústria de construção e passar mais tempo com sua família.
Ele ainda disse que sentiria falta do salário, mas realmente queria se aposentar.
A empresa não seria muito afetada pela saída do carpinteiro, mas o chefe estava triste em ver um bom funcionário partindo e ele pediu ao carpinteiro para trabalhar em mais um projeto como um favor.
O carpinteiro concordou, mas era fácil ver que ele não estava entusiasmado com a ideia.
Ele prosseguiu fazendo um trabalho de segunda qualidade e usando materiais inadequados.
Foi uma maneira negativa dele terminar sua carreira.
Quando o carpinteiro acabou, o chefe veio fazer a inspeção da casa.
E depois ele deu a chave da casa para o carpinteiro e disse:
“Essa é sua casa. Ela é o meu presente para você”.
O carpinteiro ficou muito surpreso. Que pena!
Se ele soubesse que ele estava construindo sua própria casa, ele teria feito tudo diferente.
 *********************************#*******************************************
O mesmo acontece conosco. Nós construímos nossa vida, um dia de cada vez e muitas vezes fazendo menos que o melhor possível na construção.
Depois com surpresa nós descobrimos que nós precisamos viver na casa que nós construímos.
Se nós pudéssemos fazer tudo de novo, faríamos tudo diferente.
Mas não podemos voltar atrás.
Você é o carpinteiro.
Todo dia você martela pregos, ajusta tábuas e constrói paredes.
Já se  disse que “A vida é um projeto que você mesmo constrói”.
As atitudes e escolhas de hoje estão construindo a “casa” que você vai morar amanhã.


"Castelos de areia são lindos na teoria, mas se desfazem com qualquer vento ou água que se aproxime dele. Não viva somente de ideias que não conseguem se concretizar. Os sonhos são o combustível para que se corra atrás realizações pessoais, porém não são o suficiente para torná-los realidade. Você precisa ter atitudes sólidas para que tudo prospere.
Olhe para as pessoas ao redor e crie laços firmes, consistentes e duráveis. Você irá precisar deles para se apoiar em determinados momentos de sua jornada".
Ou eles precisarão se apoiar em você! Portanto , a via é de mão dupla . E reciprocidade é fundamental..
Construa com Sabedoria, de forma que a vida seja bem edificada em terreno firme, livre de mentiras, falsidades e tolas vaidades que podem a qualquer momento nos cegar  e quando menos percebermos tudo poderá estar em ruínas ou a caminho delas.
 Construa com segurança , de forma que nada poderá desabar diantes das tempestades que ocasionalmente ocorrem ao longo da vida.
 Seja um construtor consciente e responsável!

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Resenha do filme: "Sombras de Goya"

 


Sombras de Goya, um filme que vale a pena ser visto e revisto observando cada detalhe e sutilezas. Eu já havia visto uma vez , há algum tempo , mas senti a necessidade de rever a produção como a preencher detalhes e sutilezas que porventura tivessem ficado confusos.
Sombras de Goya retrata época marcada pela Inquisição, Espanhola e as guerras Napoleônicas, por volta de 1790.
Stellan Skarsgård  interpreta  Francisco Goya , um pintor de renome , o preferido do monarca e sua esposa. Retrata em suas telas obscuridade da época . O sofrimento estampado no rosto das pessoas e sua intranquilidade e insegurança perante a perseguição que o clero impõe àquele que for considerado herege se faz nítido em suas telas, enriquecidas em sombras e pouca iluminação.
Goya presume que também é alvo do poder do Santo Ofício. Suas pinturas não são bem aceitas pelo clero  que vê nelas um ultraje a seu poder. Mas a preferência de Sua majestade pelas suas telas , faz com que o pintor   sinta-se  protegido pelo seu status.. E toda cautela é pouca , para não cair nas mãos dos “poderosos do clero”
 Durante o filme todo percebe-se a postura atormentada de Goya que se sente impotente diante de tanta injustica e abuso de poder que levava a crueldades inumanas.

Inês, (Natalie Portman ) foi uma das vítimas inocentes da Inquisição.
 Filha de um comerciante abastado e amigo do pintor, Inês posa como modelo para Goya.
 Quadro pronto, Frei Lorenzo um homem maquiavélico que comanda a Inquisição, também posa para Goya.  Em uma de suas sessões como modelo, sente-se atraído pela beleza de Inês reproduzida em tela .Tudo faz para acusá-la de Herege e levá-la para o calabouço onde é torturada cruelmente para que confessasse sua heresia.
A heresia? Ter recusado um prato de carne de porco em uma taberna em que fora com seus irmãos e onde “casualmente” membros do Santo ofício estavam ali e a vigiavam.
Por recusar a carne de porco, Inês mesmo cristã e por mais que jurasse que não era “judaísta" ( aquele que pratica rituais judeus”) foi obrigada a confessar sob tortura.
Mesmo a polpuda quantia em dinheiro que seu pai doou ao clero , fez com a libertassem. A Igreja não podia voltar atrás nos seus princípios.

A trama segue prendendo a atenção do telespectador do princípio ao fim. Vemos então a impotência de Goya,, que passa a trama toda atormentado e procurando salvar primeiramente a Inês e mais tarde a filha que ela gestou no cárcere, fruto do abuso sexual de Frei Lorenzo, que a iludia dizendo estar agindo em prol de  sua libertação.
No calabouço Inês conheceu a solidão, a amargura e a ilusão de ser protegida pelo homem que foi o causador de sua desgraça. Não houve quem pudesse salvá-la. Frei Lorenzo entrou em conflito com o clero e foi obrigado a fugir. Goya , sempre mostrando em sua telas  sua indignação, revolta e a submissão do povo subjugado aos poderes do clero.

Com a Revolução Francesa, tudo muda. A igreja perde sua força e sob as ordens do novo Imperador os prisioneiros são soltos. Quinze anos se passaram na escuridão, solidão e maus tratos no calabouço. O suficiente para deixar Inês prejudicada em sua lucidez e obcecada com a ideia de encontrar “seu bebê', uma menina que dela haviam tirado logo após o nascimento.
Estava irreconhecível. Mas ainda guardava traços de sua beleza anterior, o que fez com que Goya a reconhecesse e a levasse até Frei Lorenzo, agora um “homem de família” casado e com três filhas.

A mudança política do país , permitiu que Frei Lorenzo voltasse para acertar contas com o Clero. Inês foi levada até ele , esperançosa e feliz em lhe falar da criança, fruto de seu amor no calabouço.
Lorenzo continua a agir com seu perfil malévolo , manipulando Inês com promessas de ajudá-la, mas claro, sempre provocando situações que a afastassem da filha.
Segue-se uma sucessão de encontros e desencontros , e a memória de Inês ficando cada dia mais prejudicada, revelando um final surpreendente.

Gostei de ter revisto “Sombras de Goya, e posso garantir que ficaram em mim os mesmos questionamentos:
Como pode a Igreja que hoje prega o Deus misericordioso, um dia ter usado o mesmo  nome de Deus e ir contra todos os princípios evangélicos provocando dor e sofrimento, fomentando ódio, premeditando perseguições , torturando pessoas? 

 Sombras de Goya também traz à tona questionamentos sobre o poder abusivo  que pratica injustiças em qualquer época: seja a época da Inquisição, domínio hitleriano , ditaduras,até os poderosos de nossos dias , aqueles que se acham acima da lei, ordem ou hierarquia. 

 
"Se quiser por à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder." (Abraham Lincoln). "Todos amam o poder, mesmo que não saibam o que fazer com ele.

Assistir ao filme nos leva a fazer um parâmetro sobre a Igreja da Idade Média e a Igreja de nossos dias.
O filme não interfere em minha fé em Deus, mas me faz repensar as atitudes dos homens cristãos ou não, tornando mais cautelosa minha confiança neles.


Vale a pena assistir!
******************************************************************************

época obscura da igreja na idade Média




A Inquisição, ou Santa Inquisição foi uma espécie de tribunal religioso criado na Idade Média para condenar todos aqueles que eram contra os dogmas pregados pela Igreja Católica. Fundado pelo Papa Gregório IX, o Tribunal do Santo Ofício da Inquisição mandou para a fogueira milhares de pessoas que eram consideradas hereges (praticante de heresias; doutrinas ou práticas contrárias ao que é definido pela Igreja Católica) por praticarem atos considerados bruxaria, heresia ou simplesmente por serem praticantes de outra religião que não o catolicismo.


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

O poder da gentileza



Bem, o dia mundial da gentileza aconteceu ontem. Mas , partindo do princípio de que as “gentilezas” nunca devem ser esquecidas, pois devem fazer parte de nosso dia a dia, ainda é tempo de falar sobre o assunto.

Acontece que nos dias de hoje gentileza é figurinha difícil A rotina diária das pessoas sempre apressadas e até mal humoradas faz com que regrinhas básicas para um melhor relacionamento acabem esquecidas

E então, voltadas apenas para sua próprias necessidades vão se tornando insensíveis , o individualismo as prende em si mesmas tornando-as também egoístas.

É comum vermos hoje desentendimentos gerados por conflitos pequenos e que poderiam ser resolvidos com paciência , compreensão e respeito . O esbarrão rua, a invasão do assento alheio, o lugar na fila, o barulho que o vizinho faz , a demora no trânsito tudo acaba gerando discussões por vezes com consequências danosas e até irreversíveis.


Notaram que não estou dizendo apenas de gestos educados de bom dia ou boa tarde, desculpe, por favor  e etc, apenas para cumprir regras de etiqueta. Claro que eles são importantes  e simpáticos rendendo descontração e confiança. 
Mas, eu penso que  gentileza vai muito mais além.. Ser gentil é ter uma maneira diferenciada de ver o mundo. É querer nele ser agente transformador . 
A maneira com que as pessoas se relacionam é que propiciará formas de ter um mundo melhor e mais humano. Se queremos um mundo menos doentio , se queremos um mundo onde possamos viver de forma mais equilibrada , se queremos evitar conflitos , nossas atitudes precisam ser coerentes com aquilo que almejamos. 
É preciso que repensemos a maneira como estamos nos relacionando com as pessoas. É na maneira com que nos relacionamos com as pessoas que vamos exercitar formas de evitar conflitos , apaziguar ânimos, respeitar o espaço alheio e por aí vai.


Hoje mesmo vi uma reportagem na TV sobre brigas de estudantes na escola.
 Não, eu não me expressei bem! Não são brigas. São verdadeiras lutas livres filmadas pelos colegas que afastados a tudo assistem para depois com um prazer mórbido colocar as imagens nas redes sociais..

Eu fico pensando que tipo de relacionamento devem ter essas famílias onde os filhos não ouvem os pais ou os pais não orientam seus filhos para um a convivência saudável. Pelo contrário , a mídia já nos mostrou casos em que as próprias mães em vez de apaziguar a luta também se estapeiam junto com as filhas.

Onde estaria a falha ? Na família? Na escola? Na sociedade exigente e competitiva dos nossos dias ?


Cada um que pense, que se auto avalie e se conscientize da importância da boa atuação de cada um de nós para o próprio benefício e consequentemente da sociedade em geral.

Porque gentileza e educação se aprendem a partir do nascimento, e se aprimoram à medida que crescemos e passamos a interagir com o mundo à nossa volta.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Acredite ,se quiser!

Nossa vã filosofia

O fatos que vou narrar abaixo podem parecer fantasias de minha cabeça e até bizarros para alguns. Não digo que os acontecimentos me influenciaram de alguma maneira ou tivessem me deixado a questionar com profundidade ou exagero o tema “vida eterna” ou aquele famoso" de onde viemos , para onde vamos"

Os dois primeiros episódios, a princípio me impressionaram, mas da mesma maneira que tomei conhecimento dos mesmos, também rapidamente afastei-os da memória. 
Não posso dizer que os esqueci, porque assim que fui protagonista do 3º fato, imediatamente eles me vieram à mente , como se ali estivessem adormecidos prontos a despertar a partir de novo estímulo.

A espiritualidade cristã entende que o sentido da vida se resume nos ensinamentos de Jesus Cristo e a promessa de “vida eterna”.
Essa é a minha crença , como cristã católica que vive o catolicismo e também dá  seu testemunho . Tenho lido alguns blogues neste espaço virtual e percebo como as pessoas deixam claro em sua palavras a esperança que têm no reencontro com seus entes queridos em outra dimensão.
  A certeza de que nossos entes queridos estão “em bom lugar” como muitos se referem, é que alivia a saudade, é lenitivo para o coração.
A não consciência desse outro lado espiritual da vida , tornaria a existência vazia e sem sentido. Seria como se fôssemos apenas matéria , desconectados com o todo e destinados a se desintegrar pós morte , apenas misturando-se com o pó da terra. 


“Há mais mistérios entre o céu e a terra, do que pode imaginar nossa vã filosofia”( Shakespeare)
Nestas palavras, subentende-se que não conhecemos tudo e que, portanto, podemos expressar juízos equivocados, sendo necessária toda a prudência para afirmar ou negar o que quer que seja.



Portanto ao ler os fatos narrados abaixo , fiquem à vontade para interpretá-los de acordo com sua fé ou sua crença. "Acredite, se quiser "  ou  apenas acentue o seu ponto de interrogação com respeito ao assunto.

1ª narrativa
Tivemos durante muito tempo , aqui em nossa cidade um pároco muito querido e vivo na memória de muitos até hoje.
Era um padre missionário do PIME, natural da Itália.  Com a idade avançada , ficou muito doente e seu Superior o mandou de volta à Itália , sua terra natal,  a fim de que  fosse cuidado pela sua ordem.  Lembro-me até hoje de sua última celebração. Os sinos da Igreja tocaram e todos acorreram para a despedida inesperada. Após muitas cartas trocadas , aconteceu o inevitável. Foi-nos notificada a sua morte. A cidade toda se comoveu  e o sentimento de não poder acompanhá-lo até sua última morada era unânime.  Como não poder lhe oferecer as "margaridas brancas" que tanto apreciava?
Não havia um túmulo onde pudessem ser depositadas...

 Celebrou-se então a missa pela sua alma .
Igreja cheia, belas palavras ressaltando as qualidades do bom padre , cantos , margaridas brancas...
No auge da homenagem, um pequeno pássaro adentrou a Igreja voando velozmente e causando tumulto na assembleia. Não houve quem não voltasse a cabeça para o alto e ficasse a olhar aquela pequenina ave  a voar alegremente como se ali viesse "agradecer"  pelo reconhecimento de amizade e carinho que lhe rendiam.
 Seria a pequenina ave a alma materializada do bom padre a também querer participar daquele momento em sua homenagem?
 Acredite se quiser!

 
2ª narrativa 
 Quem não se lembra da morte do cantor "Leandro", da dupla "Leandro e Leonardo" . Não vou me deter em detalhes, apenas o que todos já sabem : a comoção tomou conta do país . A dor do cantor Leonardo, dos fãs e familiares, inconformados  com tal fatalidade.
 Pois bem , lembro-me de um depoimento de Leonardo  , sobre o seu primeiro show sem a presença de Leandro, companheiro de tantas jornadas.
Conta ele, que durante o show, em determinado momento da homenagem ao irmão, um pequeno passarinho apareceu no palco e saltitava por ali interminavelmente. Em vão foram os esforços para que a ave se afastasse. Ela continuou ali indefinivelmente , saltitando por entre fios e aparelhagem de som, como se participar daquele momento lhe desse muita alegria .
 Seria também a pequenina ave, a alma materializada do cantor Leandro a demonstrar seu agradecimento  ao irmão?
O cantor Leo, deu a entender que sim...
Acredite , se quiser!


 

3ª narrativa: O beijo da borboleta
No terceiro episódio, eu sou a protagonista.
  Moro bem próximo ao cemitério, e visitar o túmulo de minha mãe pelo menos uma vez na semana se tornou uma rotina. Diante de seu túmulo é como se estivesse aos pés de seu leito , e me vejo fazendo a mesma pergunta: "Tudo bem com a senhora? Está se sentindo bem? Não está com dor?"
 Fico ali alguns minutos, coloco flores ,  converso em oração e me retiro.

Naquele dia eu senti que precisava ir ao cemitério trocar as flores que havia deixado no dia de Finados.
 Havia chovido durante a noite e, com o vento, as flores que já estavam murchas  haviam caído sobre o túmulo e derramado sua terra. 
 Eu, vendo todo aquele desarranjo lamentei não ter levado comigo uma caneca para jogar água no túmulo.  De nada adiantaria trocar os vasos se não retirasse a terra.
 Na falta de uma vasilha mais apropriada para buscar água, improvisei com um pequeno pote que havia embaixo de um dos vasos , colocado ali para manter a umidade.
Algumas viagens até a torneira, usando as mãos como rodinho e então túmulo estava um pouco mais apresentável.
 Dirijo-me então para   trás da lápide para queimar algumas velas que havia levado. Fico ali tão entretida com as velas que teimavam em não acender, quando inesperadamente uma borboleta surge não sei de onde e voando alegremente ao meu redor, pousa em meu braço. Tão rápido como pousou, rapidamente também se perdeu nas alturas.
Apenas um toque...
Seria uma forma de minha mãe vir agradecer, satisfeita  pelos meus cuidados  em sua última morada?
Acredite , se quiser !

******************************************************************************
Obs: o texto ficou um pouco longo, mas julguei necessário as preliminares para  completa compreensão da mensagem.





domingo, 9 de novembro de 2014

Maritacas do meu quintal





Bem no fundo do meu quintal tem uma grande mangueira. Aliás, exageradamente grande. Uma copa enorme e fechada onde as maritacas escolheram para fazer sua morada.
Não, não é no meu quintal, mas do outro lado do muro, fazendo a divisa de espaço. Proporciona uma boa sombra e algumas telhas quebradas pelas frutas que ocasionalmente caem no telhado de amianto da minha edícula.

Pela manhã , já se desperta com o ruído das pequenas aves que com suas penas também vefdes,   misturam-se  com o verde das folhas.
 Às vezes só se nota o farfalhar das folhas . Repentinamente, como que obedecendo a um acorde musical, levantam voo em bandos fazendo enorme barulheira.

Ontem à tarde devia haver festa entre elas lá nos galhos da mangueira. Ou talvez tivessem conhecimento de alguma novidade e confabulavam entre si.
A algazarra era enorme e os voos repentinos eram curtos. Logo retornavam na mesma sintonia.

Eu que estava ocupada em meu ateliê , a poucos passos da mangueira, senti-me envolvida naquele canto estridente que incomoda tanta gente.
Mas eu não me incomodo não. Aquela barulheira toda até que deu um pouco de colorido e beleza à minha tarde quente e monótona. E , envolvida pelo canto das maritacas , escrevi estes versos rimados.



O canto das maritacas



Maritaca barulhenta

Lá no fundo do quintal

Maritaca faz zoeira

  Lá no galho da mangueira



Maritaca vai zoando

De galo em galho voando

O sol da tarde , escaldante

Faz seu trinado mais vibrante



Eu aqui fico a escutar

O grito que sobressai

Quebra o silêncio dolente

Que dói na alma da gente



Ah, maritaca alvissareira

que vem  voando pressurosa

Vem fugindo do sertão

Buscando melhor acomodação


 
As maritacas são atraídas pelas árvores frutíferas, alimentando-se de seus frutos.


Essas  aves sofrem com o desmatamento e migram para a cidade em busca de "moradia" em árvores frondosas e frutíferas. É ave típica do cerrado, , mas tem encontrado melhor acomodação nas cidades ou chácaras próximas da cidade onde encontram uma maior variedade de pomares, diferente do seu habitat natural que aos poucos  está sendo devastado.

Ouçam  só o barulho que duas maritacas fazem. Já imaginou um bando e 20 ou 30....

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Uma Luz na escuridão


Hoje o amanhecer revelou-se bem mais fresco que dias anteriores onde predominava insuportável calorão.
Ao abrir a janela , a suave brisa que nos bate nos rosto também penetra pelas narinas como um poderoso combustível
Bom caminhar em manhãs suaves assim . A neblina que envolve a cidade deixa a paisagem com um ar de mistério.
A falta de visibilidade, ao mesmo tempo que parece nos proteger de olhares curiosos, também pede prudência e precaução.


Tudo parece adormecido. A praça vazia passa uma impressão fantasmagórica. Fria... silenciosa...e nebulosa.




image

Envolver-se na neblina , exige cautela no caminhar, cautela no dirigir.
A névoa impede uma visualização clara e real do ambiente por onde se trafega.

Ocasionalmente podemos também nos envolver na nebulosidade de pensamentos. Tudo fica confuso e enevoado. Impossível ver com clareza , buscar soluções concretas
Melhor estacionar, \esperar baixar a neblina , como o marinheiro prudente que dirige devagar até que a neblina se dissipe.
Assim é na vida. Às vezes vemos tudo com clareza. Achamos facilmente a solução para os problemas. Em outras , a confusão se estabelece. Os pensamentos ficam nublados e confusos. Não se vê a luz no final do túnel .Tudo é escuridão.
A clara luz do sol não clareia nosso caminho. Não clareia nossos pensamentos.
Deixe-se guiar pela Luz divina, que com certeza está dentro de você. Deixe que Ele te guie para dentro de seu amor.
Seja prudente ! Não se desespere. Busque soluções sim, mas , seguro na mão de Deus !

“Aqueles que caminham no escuro, privados de Luz, confiem no nome do Senhor e contem com o seu Deus!” Isaías 50,10