terça-feira, 28 de abril de 2015

Apenas um detalhe!


Sempre quando estaciono naquela avenida, chama-me a atenção o número de pedintes que dividem o espaço com os pedestres.
Observando o vaivém rápido das pessoas, eles ficam ali “estacionados” em frente a estabelecimentos comerciais. Às vezes encontramos mulheres oferecendo um  guardanapo , mas é coisa rara . A maioria fica ali mesmo em busca de esmolas para sua sobrevivência.  Pedestres passam apressados e raramente vejo alguém que se digne a prestar ajuda. A indiferença é geral. Parecem até seres invisíveis.

Não estou aqui para fazer julgamento do comportamento de ninguém. Eu mesma, passo apressada , apenas observando de soslaio.  Eu sou um pouco avessa a prestar esse tipo de assistencialismo. Fico pensando porque o poder público municipal não toma as devidas providências. Talvez um alojamento para acolher estas pessoas, uma ajuda .Sei lá , algo que fizesse com que não ficassem nas ruas.
Mas ao mesmo tempo penso que talvez tenham família em casa esperando pelos trocados para comprar o almoço ou o jantar.

Hoje especialmente uma senhora chamou minha atenção. Aparência maltratada, claro, pela dura realidade em que vive . Mas devia estar na meia idade.  Quarenta e poucos anos talvez...
A pouca distância , eu a observei com seu ar sério apoiada em duas muletas, pois tinha uma perna amputada . Enquanto eu a observava pensava na necessidade que a havia levado ali. Não teria marido ? Haveria crianças em casa passando necessidade ? Como ela chegara até ali? A viagem  deve ter sido cansativa , pensei. Somente uma necessidade extrema de sobrevivência a traria até ali, caso contrário  ficar em casa ,no seu caso , seria muito mais confortável.

 Lembrei-me então das palavras daquela modelo de Belo Horizonte , que teve parte da perna amputada após um acidente no final do ano passado
Paola Antonini ,  mineirinha de Belo Horizonte,  a bela jovem foi muito elogiada , admirada ao fazer esta declaração:
“ A perna é só um detalhe “ disse Paola , que já está ensaiando os primeiros passos com uma prótese e já fez até ensaios fotográficos .
A jovem modelo, de apenas 20 anos , continuou:
“Ninguém quer perder uma perna. Aconteceu na minha vida, não tive escolha. Desde o primeiro momento em que recebi a triste notícia da minha mãe, agradeci por estar viva.” “Estou tentando passar mensagens legais para os amputados do mundo inteiro, mostrando que dá para viver uma vida normal, mesmo sendo amputada”.
 Após sua apresentação e entrevista na TV, a mídia assim como também o público não perderam tempo em tecer elogios mil  à jovem pela sua coragem e capacidade de superação.

Tenho conhecido através de reportagens outros exemplos de superação despertados após uma tragédia parecida . São todos dignos de louvor . São realmente pessoas iluminadas que  transformaram suas vidas inspiradas em algo que poderia ser motivo de desânimo e perda do gosto pela vida . Mostraram que a vida continua e tem suas compensações apesar do incidente .
Mas , nem sempre assim acontece , principalmente com pessoas com um nível social oposto à essas pessoas mais favorecidas .
Está certo que Paola está feliz por estar viva , pode ainda viajar muito e ter muitos filhos , como ela mesma disse . Eu também a admiro pela garra e determinação como encarou esse infeliz acidente . Mas daí a dizer que “ a perna é só um detalhe” ! Ah! Nenhuma parte de nosso corpo  é apenas um detalhe . Um membro amputado limita e muito a locomoção da pessoa .
Paola em ensaio fotográfico após o trauma

Dependendo da vítima, traz problemas emocionais ou psicológicos profundos . É preciso um tempo de adequação à nova realidade .
Mesmo com a facilidade financeira que ela tem , podendo ter a prótese que quiser e quantas quiser , a perna não é um detalhe . Já imaginou como poderia ser bem melhor a vida da senhora mendiga que apresentei no texto? Mesmo na pobreza , talvez não precisasse de esmolas . Teria condições físicas para um trabalho.Seria mais independente !

Paola que me desculpe ! Você é realmente uma jovem admirável . Iluminada , como muitos disseram!Passou uma grande mensagem de superação e otimismo . Que bom que está viva e tem condições de continuar sua vida sem maiores dificuldades . Que bom que a perna não vai lhe fazer falta !
Desculpe , mas eu contesto :"a perna não é apenas um detalhe!
É um membro muito importante e a falta dela claramente será sentida!


Quer conhecer a história completa de Paola? Clique no link abaixo 

4 comentários:

  1. Bom dia, Edite! A experiência de uns sempre ajuda os outros. Mas, todos os membros do corpo são importantes, inclusive, para enfrentar as empreitadas da vida que não é fácil. Beijo! Renata

    ResponderExcluir
  2. Vim agradecer a visita e pedir desculpas pela minha ausência por aqui.
    Aos poucos estarei voltando a visitar os blogs que tanto gosto, como o seu.

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Não dou dinheiro aos pedintes.. Mas levo para alguma lanchonete e tal. Já fiz isso sim... Bjs, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
  4. Olá Edite,

    De fato, o número de pedintes aumenta a cada dia. Costumo ajudar quando pedem alimentos, mas não gosto de dar dinheiro. Normalmente, compro o que me pedem, pois, na maioria das vezes, estão em portas de supermercados ou padarias (no meu trajeto habitual). Quando estou no volante não abro o vidro, haja vista a violência reinante, que nos deixa com um pé atrás. Quanto a considerar ser apenas 'um detalhe' uma perna amputada, creio que vai muito da força interior da pessoa, principalmente em se tratando de uma jovem de 20 anos que, querendo ou não, vai sofrer algum tipo de limitação, ainda que não a impeça de levar uma vida praticamente normal. Há pessoas que são resilientes e possuem grande força de superação, transformando sua dor em missão de encorajamento para outras pessoas. Admiro muito pessoas com tal capacidade. Claro que há grande diferença entre pessoas que perdem um membro importante com condições financeiras e aquelas sem condição alguma. Todavia, acredito que se Deus permite tais acontecimentos na vidas dessas pessoas é porque existe uma razão de ser.

    Beijo.

    ResponderExcluir