sábado, 29 de outubro de 2016

Minha paixão pelos flamboyants!






 . Hoje dirigindo -me a uma casa de materiais para construção situada ao longo da rodovia , ao longe um colorido intenso chamou minha atenção.
Flores amarelo alaranjadas que de longe me acenavam com seus cachos exuberantes em contraste com o verde ao longo da estrada . Imediatamente acendeu dentro de mim um desejo enorme de ver de perto aquela beleza convidativa.




Flamboyants vermelhos flamejantes temos bastante por aqui . Ao longo da rodovia eles desfilam seus cachos “quentes” ostentando sua cor de fogo que se tornam mais luminosas com o sol a pino.


Minha paixão pelos flamboyants vermelhos já é “amor antigo “ Já estou acostumada a vê-los ostentando suas flores em forma de chamas acesas para o alto como a nos dizer do amor intenso que devemos ter pela vida , nunca deixando que possíveis intempéries nos impeçam de florir e conquistar as alturas.



Entretanto, flamboyants amarelos são novidades por estas paragens . Os “ vermelhos quentes” imperam por aqui , apesar de dizerem ser árvore do serrado . Parece que se deram bem  nesta região do sudeste Paulista .



Muitos consideram o flamboyant vermelho a “flor da paixão “ , talvez pelo seu colorido vermelho intenso associado à cor do amor .
Tem até uma pequena lenda para explicar sua cor rubra como o fogo :


Diz-se que uma árvore sem flores chorava a sua desdita no meio da floresta. Tupã, Deus de todas as coisas, apiedou-se e ordenou, com voz de trovão: "Que os raios de fogo do sol ardente transformem esses ramos verdes em milhares de flores rubras como o fogo". A ramaria da mata afastou-se e o milagre aconteceu. A partir de então, o flamboyant passou a destacar-se nas paisagens verdes.”

Mas ,e o flamboyant amarelo ?, O que dizer de seu colorido cor do céu da tarde , quando tingidos pelos raios dourados do sol a pino ?
Enquanto o colorido vermelho paixão das flores do flamboyan ficam mais intensas expostos ao sol da tarde , o flamboyant de cor amarelo -laranja se mistura com as cores do céu , fundindo-se numa só cor ,. num sá só beleza ao cair da tarde.
Amarelas ou alaranjadas , mas efêmeras todas elas .Efêmeras , mas dignas de se apreciar enquanto vivas .
Observando por esse ângulo a natureza, também nos colocamos diante da efemeridade da vida . Vida esta que deve ser vivida e apreciada enquanto há tempo.






"As flores dos flamboyants, dentro de poucos dias, terão caído. Assim é a vida. É preciso viver enquanto a chama do amor está queimando..." (Rubem Alves)


Um comentário: