domingo, 8 de março de 2015

Pelo direito da mulher vestir o que quiser

Resultado de imagem para pela liberdade e igualdade da mulher



  Esta é a nova bandeira levantada pela mulher em tempos onde assediar sexualmente uma mulher parece virar rotina.
São tantos os noticiários nos informando dessa brutalidade contra a mulher e a primeira ideia que normalmente vem à cabeça da maioria é sempre aquela  pergunta preconceituosa: como ela se comportava? ? como se vestia ?
 Aí então eu me pergunto : com que direito um pai abusa de sua filha adolescente ? Será que também ela , sua filhinha, ficou se insinuando para ele ele ?  Claro que não! Neste caso estamos diante de um pai monstro que não sabe controlar os seus instintos animalescos nem diante de sua prole. Aliás, para ele é até mais fácil praticar sua “selvageria” pela facilidade do assédio e a pressão psicológica que faz .
 E aquela senhora de 60 anos que foi assediada no elevador do próprio prédio por um morador também do prédio? Inimaginável! A pobre senhora teve que gritar por socorro . Felizmente o ato não se consumou, mas a marca do abuso com certeza ficará para sempre gravada.
Dias atrás , uma notícia na mídia muito me chocou . Fiquei imaginando o trauma  daquela adolescente de 13 anos que foi violentada por 15 rapazes . Como se estivesse numa festinha  de sexo coletivo . Uma brutalidade sem fim. Os rapazes a encontraram na rua e a convidaram para um baile funk. A garota acreditou . Levaram-na para um matagal e violentaram-na em grupo de 3 rapazes  Filmaram tudo e foram convidando por celular os outros amigos que foram chegando  e dando continuidade à violência .
Não sei como a garota se vestia , mas sei que foi encontrada nua com a roupa em frangalhos e toda ensanguentada . Mas , será que as mulheres ou meninas que sejam são apenas um pedaço de carne exposto no açougue ?
 Vestir um short curtinho ou uma blusa colada é pedir para ser estuprada? É claro que a mulher quando veste uma roupa que chama a atenção por ser muito colada ou muito curta sabe que será alvo de olhares e comentários indelicados.  E sua postura também diz muito a que veio. Mas , daí a ser estuprada  acho um pouco de selvageria .
Justamente nessa semana  antevéspera do dia internacional da Mulher , os noticiários trouxeram a notícia de uma adolescente de 16 anos que foi molestada em um ônibus no Rio de Janeiro a caminho da escola . Vestia a saia de uniforme, adormeceu no banco durante o trajeto e foi despertada com uma mão atrevida lhe tocando as partes íntimas por baixo da saia. A jovem mostrou seu espanto e descontentamento, mas o agressor nem se tocou. Felizmente ela conseguiu entrar em contato com o pai pelo celular, que veio encontrá-la acompanhado pela polícia . O agressor, um pedreiro de 54 anos, foi preso em flagrante , embora a princípio negasse e depois atribuísse a culpa à vítima E, pelo que a reportagem mostrou o agressor não parecia ser um pervertido sexual comum. É casado , com família sendo pai  de uma filha já adulta. 
É o desrespeito mesmo , o achar que a mulher é um objeto sexual, que pode ser abusado à revelia .

É essa cultura machista e preconceituosa que deve ser combatida. A mulher tem a liberdade para vestir o que quiser sim, desde que sem exageros. Deve haver aí um equilíbrio Mas também esta cultura de que a mulher “está pedindo para ser estuprada “ foge à concepção humana de homem . Não estamos numa selva . Viajamos em vagões de ônibus ou metrô de acesso a qualquer sexo. Por que a mulher tem que ser humilhada e exposta aos comportamentos selvagens dos homens que não sabem ou não fazem questão de controlar seu instinto animal ?

Alguns dizem que a mulher é livre para usar e fazer do corpo o que quiser   sem que ninguém as julgue por isso . Concordo , cada um faz do corpo o que quiser . Mas não é preciso usá-lo para chamar a atenção para si mesma ou para a causa que defende. Sair colocando em evidência o bumbum ou os seios para dizer que é dona do próprio corpo e que ninguém tem nada com isso , demonstra falta de personalidade e firmeza na posição que defende .  Significa que seu corpo tem mais valor do que a causa que defende . É exposição, com certeza.
 Defenda sim , Mulher, a sua bandeira pela liberdade de se vestir como queira  ou  de se expressar . Mas defenda com classe e elegância , sem exposição exagerada que possa ser mal interpretada .  Procure chamar a atenção principalmente pelas suas habilidades, profissionalismo e  demais potenciais .
Com certeza , há casos e casos de estupro ou simplesmente assédio . E cada uma escolhe a maneira que poderá ser vítima do atentado.

 Todas unidas por um mundo de igualdade e liberdade de ser/ estar masculino ou feminino !

Parabéns mulheres ! Que todas saibamos nos posicionar e levantar a nossa bandeira pela liberdade e igualdade !


5 comentários:

  1. Edite, a ler seu texto parece que estou ouvindo-a a gritar sua indignação, tal é a força com que você vai descrevendo exemplos, atrás de exemplos de casos horrendos de que mulheres e jovens são vítimas, e tantos mais você descreveria se quisesse, sem que conseguisse falar de todos, que são tantos por esse mundo fora. Mulher sempre vítima, apenas porque é mulher e talvez porque alguém se lembrou um dia de dizer que mulher fora criada duma costela do homem, daí, a obrigada subserviência a ele - será?

    bj amg

    ResponderExcluir
  2. Vim só deixar um beijo e parabéns e dizer que fiquei vovó pela 7ª vez, hoje, depois de 6 meninos, de uma menina!bjs,chica

    ResponderExcluir
  3. Oi Edite,
    Eu sempre me vesti decentemente, morava no interior e, quando casada um senhor começou a me apertar num trem de subúrbio até que o sangue ferveu, dei uma virada e um forte soco na cara, aquele que aprendi no karatê (3 anos). Era véspera de Natal, ele saiu correndo e deixou os presentes no chão.
    As mulheres precisam aprender a se defender, até tiro ao alvo fui fazer, andava com gilete nas mãos e facas compridas afiadas nas mangas.
    Ainda bem onde morava fazia muito frio e usei muito. Só era bonita na época, mas minhas roupas eram decentes e nunca dei bola pra ninguém.(Morava numa metrópole)
    Hoje a libertinagem é de praxe e a tecnologia ajuda a propagar essa "bundalização iveterada".
    O homem virou irracional e não tem Deus em suas vidas.
    O que fazer se nossas leis são uma vergonha? É contra - atacar.
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  4. Oi querida amiga Edite,
    desculpe por não ter vindo ontem. Ando muito ocupada esses dias...
    Lhe desejo um feliz dia da mulher (mesmo que atrasado)
    Beijos e fique com Deus!!

    ResponderExcluir
  5. Oi Edite!
    Boa noite!
    Hoje minha postagem foi sobre a violência, a gente não sabe mais em quem confiar. Eu vi uma reportagem semana passada sobre um pai que abusou das quatro filhas e depois de uma netinha. Tudo com idade entre seis a dez anos. Ele dizia que era um trabalho e elas tinham que fazer sexo com ele. Depois dava dinheiro, sorvete pra agradar como forma de pagamento... Como pode um homem de 53 anos fazer uma coisa dessas. Elas só resolveram denunciar quando descobriram que ele abusava da neta também. A menina de 12 anos diz ter medo do avô, que abusava dela há cinco meses. Isso é dolorido demais.
    Eu acho que a mulher de hoje se expõe demais. Não se valoriza pelo seu potencial...A mídia contribui pra isso. O Big Brother é grande exemplo, sexo ao vivo. Penso como essas mulheres não sente vergonha perante família. Ela não se valoriza, querem vencer através de exposição com o corpo. Falta respeito, por isso os homens saem pegando mulheres nas ruas e violenta como se fosse normal.

    Excelente texto Edite!
    Um beijo e ótima semana!

    ResponderExcluir