quarta-feira, 30 de julho de 2014

O que é a vida?


"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade."


Carlos Drummond de Andrade


A frase toda chamou-me a atenção.
 Nossa vida toda deve ser guiada pelo amor com que nos situamos neste planeta. Amor a tudo , animais, seres humanos e natureza.
Quanto mais os anos chegam, mas a sensibilidade pela dor ou sofrimento do outro me afeta. 
Talvez seja o auge de um aprendizado que se adquire com a maturidade.

Inúmeras perguntas me vem à mente: qual o sentido da vida?
 Porque uma existência terrena tão atribulada e ao final da estrada o sofrimento continua até com maior intensidade?
Quais os propósitos de Deus, ao permitir assim um sofrimento infindável?
É triste ver minha mãe assim se extinguindo a cada dia, consumida pela própria existência. Como um pavio que tremula ao vento, um pavio prestes a apagar-se, mas que valentemente resiste às investidas do tempo.Porque meu Deus, por quê?
  Porque a estrada da vida para uns é tão estreita e curta para uns e para outros tão longa e sofrida ?
 
Por mais que eu vasculhe minha mente, apoie meus pensamentos em pontos da fé que professo, eu não encontro respostas.
Eu apenas sei que precisamos continuar nossa caminhada, com dor ou sem dor, com sofrimento ou não. Não nos é dado o direito de esquivar-se do sofrimento , porque como diz Fábio de Melo: “sofrimento é destino inevitável porque é fruto do processo que nos torna humanos.”

Em certa ocasião eu escrevi: “A vida é muito curta para perder tempo com coisas vãs”

E aqui eu acrescento que curta ou longa, o importante é vivê-la com sabedoria, intensidade de momentos bons, aproveitando cada minuto, trazendo para perto de si pessoas que realmente importam e completam nosso “ser feliz”.
Porque a felicidade não está em “ter” , mas em “Ser” .A vida é um aprendizado contínuo que nos fazer querer ser pessoas que acrescentem algo na vida do outro. É saber ser feliz na simplicidade, sem pressa, sem devaneios.
O resto, entreguemos nas mãos de Deus.



segunda-feira, 28 de julho de 2014

Os avós de nossos dias




Ah, esses avós hoje! Uma geração de adultos maduros e bem resolvidos que com um olhar diferenciado para o mundo, ocupam também um lugar diferenciado na sociedade de nossos dias.
Eu amo essa geração de avós de nossos dias.
Principalmente porque eu faço parte dela e vejo claramente as mudanças no comportamento e atitudes dos vovôs e vovós de hoje.
Quando estou dirigindo então, nem se fale... Não se encontra uma vaga para idoso vazia. Costumo dizer que os “velhos” , ou melhor, os vovôs e vovós de hoje não ficam mais em casa. Estão todos na rua. Inclusive eu...

Eu acho isso tudo uma maravilha. Essa nova geração de vovôs bem resolvidos que tem seus próprios objetivos e vão à luta. Deixaram de ficar em casa sentindo-se ineptos e dependentes dos filhos. Pelo contrário, nos nossos dias muitos são as famílias que dependem da ajuda dos avós na educação dos filhos. Seja para acompanhá-los a alguma atividade de lazer ou escola, bem como cuidar deles enquanto os pais trabalham.

Avôs de hoje tem porte ereto, muitos são fortes e ágeis graças à prática de atividades físicas tão apregoada nos dias de hoje para todos em qualquer idade.
Adeus, birotes, bengalas ( a não ser em questão extrema de saúde), cadeira de balanço, tricôs e etc... o vovô e a vovó querem mais é navegar na internet . E para isso contam com a ajuda do netinho.
Uma verdadeira interação afetiva e cognitiva que leva ao crescimento de ambos, nunca esquecendo do respeito devido em qualquer situação.


E é para essa nova geração de vovôs e vovós tão bem decididos e bem informados de nossos dias que deixo aqui o meu abraço carinhoso neste dia especial.
Parabéns a vocês vovôs e vovós ! Que a sabedoria adquirida ao longo dos anos possa ser transmitida às futuras gerações e gerar homens conscientes de seu valor e comprometidos com a vida.

sábado, 26 de julho de 2014

Caminhando para o inverno da vida


imagem de arquivo próprio
Sentada no sofá ao lado do leito eu aproveito os primeiros  raios de sol que penetram pela janela  do quarto pela manhã  e aqueço meu corpo ainda meio entorpecido pelo frio da noite.
 A madrugada foi fria, muito fria... O frio característico da estação aliado  ao frio peculiar do quarto de hospital aumenta a sensação de inverno no corpo e no coração.
 Aberto no colo eu trago o livro de Anselm Grün : "A sublime arte de envelhecer".

Logo no início do livro ele compara metaforicamente a velhice com o outono no auge de sua beleza , suas maravilhosas cores outonais e a amenidade do sol.
 O envelhecer "outonal" seria a fase do "contemplar e usufruir " o belo. Nesta fase já não há a necessidade premente de produzir. Os frutos já estão ali. É hora da alegria da colheita. Hora de provar dos frutos e também experimentar coisas novas.

Naturalmente, depois do outono vem o inverno que também tem sua beleza. Estação onde predominam a calma , a tranquilidade do aconchego. Momento de serenidade marcados pelo calor físico e humano.
Mas, não se pode esquecer que tanto o outono como o inverno podem ser marcados também por experiências negativas. Podem advir tempestades que arrancam árvores,  destelham casa e desabam morros, assim como também geadas e até avalanches em territórios mais inóspitos.

Faz parte da arte do envelhecimento ver o outono e o inverno da vida em sua beleza , mas também aceitá-los em sua dureza. Descobrir  mesmo em meio a aflições o amor , a paciência e a aceitação que pode dar um aspecto novo e aquecer qualquer época da vida.

Meu olhar se volta para minha mãe no leito ao lado. Vejo nela o fluir constante do inverno. Um inverno  frio e cinzento marcado por imprevistos que a debilitaram . Marcas de tempestades geladas  que a levaram a um sofrer calado  como a dizer: "Estou aqui ,Senhor!. Faça de mim o que quiseres."
Durante o inverno frio e cinzento de sua vida, muitas nevascas, um gelo  que só é aquecido pelos nossos cuidados e infalivelmente a presença do Senhor!



sábado, 19 de julho de 2014

A tarde cai...





A tarde cai. O sol se põe.
Cenário envolvente
Espetáculo indescritível...
Mais um dia que termina. 

Mais uma volta completa da terra...
Confusão de sentimentos
Melancolia...paz...

silêncio que cala fundo na alma.
É tudo muito rápido!
O sol que se vai
A escuridão que desce
Amanhã tudo estará novamente preparado
Para que o espetáculo se repita
Ande, venha ver o sol poente!

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Deus escreve certo por linhas tortas

....
Diz o ditado popular 
que "Deus escreve certo por linhas tortas"
E eu fico a me perguntar
em que ponto do caminho
as linhas vão se encontrar
e tudo se acalmar

Entender os propósitos de Deus
não é tarefa para humanos.
Sim, eu sei...
Mas tanta tribulação,
tanto sofrimento 
tem me abalado.
E do seu Divino amor
deixa-me sem noção

Sinto-me frágil,
incapaz .
Muitas vezes até penso 
que não vou aguentar

Em seu leito de dor
ela me passa humildade,
coragem, resignação...
Paciente e calma 
segue sua jornada
Como alguém que esfera confiante 
pela chegada dos anjos 
que a conduzirão 
à morada eterna do Amor.

Então é isso , Senhor?
Enquanto a doença
 lhe consome  o corpo
e corrói meu coração
Aprimoras-me o ser, 
trabalhas minha fé.
Ensinas-me a conduta do amor
que acolhe e consola 
em qualquer situação
mesmo que para isso 
sinta partido o coração.
 
imagem google

 " Sofrer é um dom e saber consolar o próximo é uma bênção"
Mas, Senhor, este é um momento em que preciso tanto de Ti! E lhe rogo: Não me abandones jamais...

quarta-feira, 9 de julho de 2014

O sonho não acabou...

Quarta-feira de feriadão...
Ânimos um pouco abatidos!
Pudera, afinal almejar a vitória do Brasil era sonho de muitos.
Decepção total. Não pela derrota, mas pela vergonha nacional.
1x7? Demais....surra total.

Perder faz parte do jogo. Afinal quando se entra numa competição, sabe-se dos riscos.
Perder, mas perder com dignidade. Não, "a melhor seleção"do mundo jogando como um time de amadores. Buscávamos o Hexa e conquistamos o "HEPTA", presente dos alemães. (rss)
Bem, mas a vida continua. O sonho do HEXA acabou, pelo menos por enquanto. Mas temos outros sonhos, outras prioridades. 

E a prioridade do momento agora são as eleições. Vamos nos preparar bem, nos informar sobre cada candidato, sua vida, seus feitos, seu caráter para fazer uma boa votação buscando"errar menos".
Talvez com "bons homens"no poder, autoridades que realmente priorizem as necessidades do momento buscando favorecer a população e não o "seu bolso"possamos reverter esse quadro de  "descaso"com a saúde, educação, transportes, segurança,etc... mesmo que a longo prazo.
 

Encero essa mensagem  com os olhos voltados para um futuro melhor, o peito inflado de orgulho em ser brasileiro, sim, porque ainda "sou brasileiro com muito orgulho, com muito amor..."
 


 Olha pro céu meu amor  e veja como ele está lindo!!!...

terça-feira, 8 de julho de 2014

Amanhece!!!

Amanhece!!!
Vejo o céu azul anil
Sinto o sol a acariciar-me a pele
Vejo a flor no meu jardim
Sinto em mim
O desabrochar para a vida

 
imagem de arquivo: flor em botão, vida em explosão!



Que cada dia não seja apenas mais um dia. É preciso ter a compreensão de que cada dia representa novas oportunidades . Novo recomeço e  o renascer da esperança .
Como bem disse Fábio de Melo:
" A vida só tem sentido quando se aprende a recomeçar todos os dias como se fosse o primeiro"

imagem de arquivo: desabroche sempre!!!
 

 

sábado, 5 de julho de 2014

E julho chegou...



E julho chegou, carregado de anseios e expectativas pelo  título de hexacampeão  disputado pela seleção brasileira.
Que venha o hexa! , Mas cá entre nós , às vezes meu coração aperta. Não está fácil não. O Brasil tem enfrentado grandes times. Bem , mas depois da vitória contra a Colômbia, os ânimos podem ter melhorado. Reacende a esperança...
E lá se foi metade do ano. Metade do ano é como se fosse também metade da vida. Há que se pensar no que ficou para trás e como vamos conduzir a caminhada daqui prá frente.
Mas hoje eu quero parar no tempo para a contemplação do novo cenário  com que a natureza nos presenteia.

Julho, tempo mais frio , inverno seco e com baixa umidade do ar . Clima propício para a floração dos ipês, que surgem majestosos , com sua beleza rosada  modificando a paisagem e atraindo olhares daqueles que não ficam indiferentes ao belo.
Aliás, eu acho impossível desviar o  olhar de tanta beleza que simplesmente atrai pelo que é.
São poucos dias de floração. Uma beleza efêmera  que nos  faz refletir na transitoriedade da vida.
Como a florada dos ipês, nossa vida também é efêmera , portanto é preciso florescer mesmo em meio a terrenos hostis.
Assim como os ipês buscam na profundeza do solo a água para seu florescer fantástico, busquemos também no mais profundo de nosso ser o vigor necessário para o florescer da vida.

calçadas e...

... canteiros ficam assim atapetados de flores    em homenagem ao passante que forçosamente levanta o olhar para a contemplação