segunda-feira, 28 de julho de 2014

Os avós de nossos dias




Ah, esses avós hoje! Uma geração de adultos maduros e bem resolvidos que com um olhar diferenciado para o mundo, ocupam também um lugar diferenciado na sociedade de nossos dias.
Eu amo essa geração de avós de nossos dias.
Principalmente porque eu faço parte dela e vejo claramente as mudanças no comportamento e atitudes dos vovôs e vovós de hoje.
Quando estou dirigindo então, nem se fale... Não se encontra uma vaga para idoso vazia. Costumo dizer que os “velhos” , ou melhor, os vovôs e vovós de hoje não ficam mais em casa. Estão todos na rua. Inclusive eu...

Eu acho isso tudo uma maravilha. Essa nova geração de vovôs bem resolvidos que tem seus próprios objetivos e vão à luta. Deixaram de ficar em casa sentindo-se ineptos e dependentes dos filhos. Pelo contrário, nos nossos dias muitos são as famílias que dependem da ajuda dos avós na educação dos filhos. Seja para acompanhá-los a alguma atividade de lazer ou escola, bem como cuidar deles enquanto os pais trabalham.

Avôs de hoje tem porte ereto, muitos são fortes e ágeis graças à prática de atividades físicas tão apregoada nos dias de hoje para todos em qualquer idade.
Adeus, birotes, bengalas ( a não ser em questão extrema de saúde), cadeira de balanço, tricôs e etc... o vovô e a vovó querem mais é navegar na internet . E para isso contam com a ajuda do netinho.
Uma verdadeira interação afetiva e cognitiva que leva ao crescimento de ambos, nunca esquecendo do respeito devido em qualquer situação.


E é para essa nova geração de vovôs e vovós tão bem decididos e bem informados de nossos dias que deixo aqui o meu abraço carinhoso neste dia especial.
Parabéns a vocês vovôs e vovós ! Que a sabedoria adquirida ao longo dos anos possa ser transmitida às futuras gerações e gerar homens conscientes de seu valor e comprometidos com a vida.

9 comentários:

  1. Que legal e os vovôs e vovós de hoje estão à mil!! Ainda bem e estou nessa,rs bjs praianos, parabéns! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estamos, não é mesmo Chica? O futuro nos espera ...rsssss

      Excluir
  2. Oi Edite, que lindo!
    Até hoje lembro com carinho da minha vó e do meu vô...
    Beijos e boa semana!

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente eu não tive esse privilégio de conviver com meus avós. Aliás, eu nem os conheci. Mas falo pelo meu sentir "Ser avó"" .É muito gratificante poder dar aos netos o afeto que muitas vezes pelo trabalho "Faltou " aos filhos. Perdemos tantos momentos de sua infância pela ausência forçada... Bjs...

    ResponderExcluir
  4. Oi Edite! Seu texto me lembrou quando meu sobrinho tinha seus cinco anos (hoje tem 26) e minha mãe pintou o cabelo e ele reclamou: "vó não faz isso... eu gosto de vó de cabelo branquinho". Isso porque minha mãe tinha os cabelos grisalhos e a outra avó pintava os cabelos de loiro... Eu mesma, faço hidroginástica com muitas vovós antenadas e gatinhas! Já foi o tempo que avó passava o dia na cadeira de balanço tricotando! Viva essa nova geração de avós! Bjks Tetê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Tetê , ainda hj disse p/ minha cabeleireira que ainda vou ser uma avó de cabelos brancos. Acho lindo!

      Excluir
    2. E Tetê, vc falou bem : cadê o tempo prá tricotar e crochetear...rssss Temos tantas "outras" ocupações...

      Excluir
  5. Olá, querida Edite
    Que maravilha de post e me identifiquei muito com ele... lindas imagens também!!!
    Somos vovós moderninhas,né?
    Beleza!
    Nas horas vagas... faço o famoso tricô e crochê... mas cadê hora vaga? rs...
    Bjm fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí, Roselia, cadê o tempo? Somos tãO OCUPADAS ... rsss
      As horas já não são mais vagas, os tempos são outros. Bjs

      Excluir