sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

A busca pelo corpo perfeito



O caso da modelo Andressa Urach, 27 anos, hospitalizada em Porto Alegre, após injetar hidrogel nos glúteos para tornar as pernas melhor torneadas , traz à tona a discussão sobre o exagero hoje cometido pelos amantes do “corpo perfeito”
Até que ponto a busca pelo corpo perfeito é aceitável? Existe mesmo o “tal” corpo perfeito? Ou seria apenas um padrão estipulado pela mídia que pressiona de todos os lados seja televisão, publicidade, novelas...E esse padrão é algo impossível de ser alcançado. Afinal cada um/a de nós tem seu biotipo e deve respeitá-lo.

Fixas nessa ideia , as pessoas exageram não só em atividades físicas , dietas mirabolantes e ainda insatisfeitas recorrem a procedimentos médicos invasivos.
As pessoas não querem hoje ficar mais magras, mas sim, mais musculosas, mulheres mais turbinadas. E para isso vale colocar em risco a própria vida.

A mídia tem nos mostrado tantos outros casos de procedimentos invasivos feitos sem a devida segurança e credibilidade do profissional e que não deram certo, provocando consequências irreversíveis.
Mas, isto não vai acontecer comigo” , pensa o candidato E , mesmo que em dúvida, a vaidade fala mais alto. Então abusa dos anabolizantes e suplementos sem a devida orientação médica.Ou se submete a procedimentos cirúrgicos duvidosos.
As consequências tardam , mas algum dia chegará. Como no caso da modelo, que começou a sentir as primeiras complicações cinco anos após a injeção de hidrogel.
 
Um boletim médico divulgado hoje nos noticiários disse que talvez ela precisasse amputar a perna.
Eu, sinceramente me arrepiei toda ao ouvir essa notícia. Senti uma dor no peito , de angústia por ela. 
Como reagiria essa moça, já tão linda, ao perder a perna por querer deixá-la mais linda e perfeita do que já era? Por uma vaidade tola?

Felizmente um outro boletim médico desmentiu a notícia. Porque a mídia é assim : não perdoa mesmo e faz sensacionalismo barato de tudo. O caso é grave ,claro, mas os exageros também da mídia são nada mais que busca pela audiência mesmo que dançando sobre o cadáver da vítima..

Vamos torcer pela recuperação da modelo . E que mais este caso sirva de alerta àqueles que estão sempre insatisfeitos com o próprio corpo e querem sempre mais e mais beleza a qualquer custo. Desconsideram seu próprios valores e colocam toda sua aceitação social apenas na beleza e perfeição do corpo.

Nosso corpo é fantástico assim como o Criador o fez. Precisamos cuidá-lo sim , mas em prol de um melhor condicionamento físico, uma melhor qualidade de vida ., sem exageros obsessivos.
Exercícios físicos só trazem benefícios , desde que respeitados os limites do próprio corpo e atitude atenta também à alimentação.
Temos que nos amar e valorizar sem ambições desmedidas que nos levem a uma fuga da realidade. O mundo precisa de pessoas sadias e participativas , que olhem a seu redor e não apenas para o próprio corpo.

***********************************************************************
Saiba do caso na íntegra, clicando nos links abaixo





6 comentários:

  1. Ainda bem ela, pelo que ouvi aqui, está saindo dessa e vai ficar boa.Esperamos! Pena que as pessoas não se aceitam mais. Jovens já preocupadas com essas coisas. O que sobra quando forem velhas? Não se aceitarão/ Pena., Falta "recheio" no se gostar, no se sentir, no se aceitar! bsj,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo Chica< gostei de sua opinião tão verdadeira : "o que sobra quando ficarem velhas ? Falta "recheio" no se gostar"
      Fico preocupada com os caminhos que o mundo está levando as pessoas. Bjs

      Excluir
  2. Oi Edite! Quanta notícia triste temos visto sobre o exagero da vaidade. Parece que as pessoas não se conhecem mais e miram sempre no outro para serem felizes. Por isso cometem tantas loucuras. Beijo carinhoso! Suas postagens e comentários sempre me ensina e me alegra. Beijo! Renata e Laura

    ResponderExcluir
  3. Olá, querida Edite
    Vaidade das vaidades tudo é vaidade...
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
  4. Olá Edite,

    Estou acompanhando o caso dessa modelo. É lastimável que tantas vidas sejam ceifadas precocemente em nome da vaidade. Também é triste quando ocorrem erros nos procedimentos médicos, ocasionados por imperícia, resultando em aleijões ou marcas indesejáveis para sempre. Vaidade é salutar na medida em que a pessoa se cuida objetivando qualidade de vida. Exageros são sempre condenáveis, seja a que nível for. A pessoa que se gosta e se aceita como é vive feliz, mesmo que não seja nenhuma beldade. A tirania da beleza tem provocado resultados catastróficos. Algumas cirurgias plásticas são até recomendáveis, seja para eventual correção, seja para fazer uma pessoa se sentir melhor quando existe algo que a incomoda sobremaneira a ponto de deixá-la insegura e infeliz. Contudo, é preciso cautela máxima, incluindo nela informações acerca da qualidade e competência do profissional que irá executar a cirurgia ou procedimento médico corretivo.
    Vamos torcer para que tudo corra bem com a modelo em questão.Os casos noticiados deveriam servir como alerta para aquelas mulheres que ousam arriscar a vida em nome de uma beleza física que nada representa, eis que a verdadeira beleza vem de dentro para fora.
    Ótima abordagem.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Cada vez que leio sobre resultados catastróficos de procedimentos utilizados em prol da "beleza", fico pasma. Nem com todos os exemplos que a mídia nos apresenta, as mulheres se conscientizam de que não há necessidade de tamanhos exageros para se encontrar a felicidade. Sequer optam por realizá-los através de profissionais merecedores de confiança. Infelizmente, as mais jovens são as mais afetadas. Querem seguir um padrão que, nem sempre, corresponde ao seu tipo físico. E muitas perdem a vida correndo atrás dele. Bjs.

    ResponderExcluir