terça-feira, 28 de março de 2017

COZINHANDO E ATIVANDO MEMÓRIAS...




Domingo ! Dia de “almoço diferente “ Mesa farta , almoço especial!
E porque não uma polenta ?
Bem , falando assim até parece que vamos a um desses restaurantes especializados nessa iguaria
Sim , porque nos dias de hoje é comum buscarmos a praticidade das coisas , E polenta parece um prato eleborado demais para as cozinhas de hoje . Aliás , muitos dessa nova geração desconhecem esse tal prato .


Mas para muitos , “frango com polenta” evoca lembranças da infância
E é disso que estou falando ! A casa humilde , mas acolhedora , os filhos pequenos em volta do fogão à lenha , minha mãe com seu avental em pé a beira do fogão a lenha , a colher de pau em uma das mãos e a panela de ferro ao fogo aguardando o peneirar do fubá …

Gostava de observar minha mãe concentrada , olhos fixos na panela e seu “peneirar” o fubá . Ma esse “peneirar “ de que falo não utilizava peneira alguma . Até hoje não sei dizer onde encontrava tamanha habilidade em “peneirar “ o fubá na panela de tal forma que mais parecia uma poeira fininha a se assentar na água . 

Enquanto isso , a outra mão habilidosa mexia com a colher de pau de forma rápida e concisa não deixando que o fubá fizesse “grumos “ como ela dizia . 
A mim, parecia mágica !

Mexe que mexe e remexe na panela ! O fogo crepitando ! Depois de algum tempo, o “mingau “ começa a engrossar e pulular no fundo da panela . Era então o sinal de que estava no ponto. Era só virar num prato , e cobrir com o molho do frango caipira que já estava pronto e degustar , de preferência com arroz branco . Uma delícia . Para incrementar o prato , cobria -se a polenta com queijo parmesão ralado e levava-se ao forno para derreter o queijo.

E ao redor da mesa , todos se sentavam e partilhavam aquela simples refeição , mas feita com muito amor e que reunia a família .

E foi em pé à beira do fogão que não é de lenha , mas também com avental à frente que me veio à memoria todas essas lembranças. À minha frente a pequena panela , porque a família já esta reduzida a apenas dois , que me vi rememorando essas lembranças de minha mãe .

O fubá , que também não é fubá , mas sim , polentina que é mais fácil de manusear e não faz “grumos” e a panela que também não é de ferro...
Não herdei de minha mãe certas habilidades na cozinha , como a de “peneirar “ o fubá sem peneira . E seria tolice me por a fazê-lo , porque certamente estragaria o prato.

Então , seguindo a praticidade de nossos dias , utilizei a polentina e fiz uma deliciosa polenta também com frango caipira . Claro que meu frango caipira não chega nem aos pés do molho  de frango da minha mãe , mas eu me esforço e fica também muito bom , apesar de não ser no fogão a lenha .

*********************************************************************************

Uma pequena dica ...

Pesquisei várias receitas de"Polenta com frango" na net e no link abaixo me detive. A autora não só da a  receita,como também de uma forma leve mostra as                                     diferenças entre o"fazer"de antes e  o "fazer " polenta nos dias de hoje . 

Por exemplo o uso da "colher de silicone " em vez da tradicional colher de pau , uma dica prá não se queimar quando a polenta começar a pulular e também para não fazer crostas no fundo da panela como acontecia com nossas mães . 
Mas, recorda a autora ,  há  mães que  ainda insistem em fazer como antigamente . Confiram .





sexta-feira, 10 de março de 2017

"ELAS VÃO ONDE MUITOS NÃO QUEREM IR"







No dia Internacional da Mulher, a ACN destaca a vida e coragem de milhares de mulheres que abriram mão de uma vida considerada “normal” para se doarem completamente aos que mais precisam.

 ELAS (literalmente) VÃO ONDE MUITOS NÃO QUEREM IR.

http://www.acn.org.br/images/stories/eCOdOaMOR/PDF/eCOaMOR-2017-03.pdf

As obras de misericórdia são artesanais”, escreve o Papa Francisco. A revelação mais concreta disso é o serviço às pessoas prestado no mundo inteiro pelas religiosas. Elas dão “espaço à riqueza inventiva da misericórdia”, elas são o rosto e as mãos da Mãe Igreja. 

O “artesanato da misericórdia” que as Irmãs da Caridade de Jesus e Maria (SCJM) exercem no Paquistão vai sobretudo a meninas e jovens. No país dominado por homens, as mulheres não têm praticamente nenhum direito social, ainda mais quando são cristãs. Não raro são assediadas sexualmente ou mesmo estupradas. Diante do tribunal elas têm pouca chance e muitas vezes, depois de serem estupradas ou forçadas a se casar com um muçulmano, são abandonadas até mesmo pela própria família. Um modo de sair dessa discriminação é a educação. 

É disso que as Irmãs se ocupam. Elas acolhem as mais pobres, órfãs e crianças de rua, meninas entre 4 e 16 anos. No Convento do Sagrado Coração, em Lahore, elas lhes dão um novo lar.
 A vida em Lahore não é fácil, sobretudo para as mulheres. A presença das irmãs é como um sinal de que Deus não esqueceu de seu povo.



Editorial


São muitas as histórias as quais tomamos conhecimento através do folhetim "ECO DO AMOR". Todas mexem com nossas emoções . , deixam-nos sensibilizadas com a dor do próximo  , homens , crianças , mulheres e idosos vítimas da violência , guerra fome , perseguição religiosa.
Todo mês quando recebo um folheto e o leio , fico pensando em como somos privilegiados . Vivemos num país com tantos problemas sociais , económicos e políticos , mas temos nosso direito "de ir e vi "aparentemente resguardados"

Temos muita violência em nosso país . Pode-se dizer que estamos "quase tolhidos em nossa liberdade de ir e vir ", enquanto a violência corre solta , ficamos "trancados em nossas casas" , tentando nos proteger de bandidos , ladrões e assaltantes que circulam livremente .

Mas ao ler a realidade dos países africanos ,Síria Paquistão , e tantos outors locais , acreditamos que ainda "um céu " nos protege .


Vou deixar aqui um trecho da história de Rebeca, africana, vítima do terrorismo juntamente com seu marido , 2 filhos  em sua companhia e um no ventre :

Ao final do texto deixo um link que o levará ao folhetim e história completa 


A HISTÓRIA DE REBECA

O pesadelo de ser prisioneira do Boko Haram

Quando o Boko Haram atacou a cidade de Baga, em agosto de 2014, Rebecca fugiu com o marido Bitrus e seus filhos: um de 3 anos, Zacarias, e Jonathan, de 1 ano. 

Grávida, ela perderia a gestação em seguida. Na fuga, seu marido não podia correr muito enquanto carregava seu filho, ela suplicou então que ele salvasse sua própria vida e os deixasse para trás. 

Bitrus correu, prometendo que reencontraria sua família. Ele conta a história com uma profunda vergonha por não ter sido um herói naquele momento. 


Depois de matar os homens capturados, os terroristas mandaram as mulheres atravessarem o lago Chade com seus filhos. A travessia durou seis dias, a água chegava até o pescoço. Chegaram a um lugar chamado Kwalleram, onde trabalharam como escravas. “


Em Tilma me venderam a um homem. Quase todas as noites quando ele queria me tocar eu pegava as fezes dos meus filhos e esfregava no meu corpo, isso o mantinha longe. Os filhos dele me açoitavam todos dias, levaram meu filho mais novo e o jogaram no lago Chade, onde ele morreu afogado.”

 Rebecca diz isso com uma tristeza sem tamanho. Rebecca ficou com os terroristas por dois anos. No dia 5 de setembro ela retornou para Maiduguri, Nigéria, de volta para o marido e com um filho de um terrorista do Boko Haram

A HISTÓRIA DE REBECCA  continua ..

Malla foi o segundo homem que trouxeram. Me obrigaram a dormir com ele, eu resisti. Me jogaram em um buraco por dois dias sem comida ou água. Depois Malla me estuprou várias vezes. Logo percebi que estava grávida, tentei acabar com a gestação, mas não consegui. 

Quase morri de fome, dei à luz em casa, sozinha, eu mesma cortei a placenta com muita dor. Eles chamaram meu filho de Ibrahim. O pai era membro do Boko Haram e estava viajando. Me venderam novamente.” 

A FUGA 

Rebecca conseguiu fugir com seus filhos para Maitele, uma pequena comunidade. Caminharam por seis dias com um dos seus filhos doente por causa da fome e sede. Rebecca seguiu com fé, acreditando que encontraria um lugar seguro. Chegaram em Diffa, onde soldados do exército do Níger cuidaram do filho e lhes deram pão.

“Os soldados foram maravilhosos, me trouxeram para o meu marido na cidade de Maiduguri.” 

MEU NOVO FILHO IBRAHIM 

Bitrus, o marido, diz: “Ver minha esposa com um filho cujo pai é do Boko Haram me assusta. Fiquei feliz por reencontrá-la, mas a criança corta meu coração. Que Deus me faça amá-lo...” 

Rebecca diz que o pequeno Ibrahim é seu filho, apesar de o pai ser um terrorista. Ela tentou dar a criança para o governo, mas os soldados lhe pediram para esperar, já que o bebê tem apenas oito meses.

Rebecca ainda não tem coragem de aparecer em fotos. Medo, insegurança, depressão... ela ainda é um misto de sentimentos do tempo em cativeiro.

O FUTURO 

Rebecca e sua família estão na Diocese de Maiduguri, onde o Bispo Dom Doeme providencia assistência para eles em um campo com mais de 500 pessoas na mesma situação. Apesar da ajuda, a história de Rebecca ainda não tem um final feliz, a família precisa de atenção médica e espiritual, além de acompanhamento psicológico. Rebecca é forte e tem fé. Cabe a nós agora alimentar sua esperança com orações e apoiando as centenas de projetos da ACN na Nigéria, projetos que ajudam os refugiados e vítimas do Boko Haram, projetos que dão uma nova vida a pessoas como a Rebecca e sua família.

http://ais.org.br/images/stories/eCOdOaMOR/PDF/eCOaMOR-2016-11.pdf


República Democrática do Congo : Religiosas atendem às necessidades básicas da crianças

 Conheça os projetos da ACN e seja um missionário a partir da sua casa. Faça uma doação a qualquer momento por meio de nossas contas bancárias: Banco do Brasil: Ag 4244-7 Cc. 56091-X | Banco Itaú: Ag. 0300 Cc. 08444-9 Bradesco: Ag. 3450 Cc. 15.660-4 | Santander: Ag. 3793 Cc. 13-000507-8 | Caixa Econômica Federal: Ag. 0245 Cc. 003 00001637-0 » Em nome de (favorecido): Associação Brasileira Ajuda à Igreja que Sofre (ACN Brasil). CNPJ: 01.950.436/0001-04


Irmã Mirna presta atendimento a criança desnutrida

crianças vítimas da fome e miséria consequentes da violência sofrida são acolhidas pelas religiosas 

Mulheres de Fibra ! Guerreiras !Levam vida e esperança em lugares distantes . Onde muitos não podem ou não querem ir !
 São os Anjos de Deus !
É a mulher cumprindo seu papel na transformação do mundo !



leia também :

http://kantinhodaedite.blogspot.com.br/2016/04/ela-faz-diferenca-faca-voce-tambem.html

sábado, 28 de janeiro de 2017

A chuva continua...




E a chuva continua a cair . Chove fria e mansamente , chove quase que ininterruptamente . Assim passam-se os dias , assim passam -se as horas ...assim termina Janeiro ! Muita chuva , muita terra molhada , muita reclusão em casa
A chuva não dá tréguas ! Neste momento mesmo seu ressoar é como uma cantiga suave num compasso firme e lento.

Janeiro é sempre assim … chuvoso , mas calorento . Se chove hoje e amanhã faz sol , este parece que vem se vingar de seu recuo forçado . Seus raios castigam intensamente. E à noite a chuva cai novamente ! É como um ciclo vicioso , chuva ...sol, chuva...sol....

Nesses dias chuvosos , as horas passam lentamente , tudo fica demorado e lento . A mente a invocar que é hora de madornar … refletir pensamentos que teimam em vir à tona como se também estivessem cansados de ficar reclusos e esquecidos...

Em dias assim , gosto de ficar reclusa , envolta em meus pensamentos … saboreando minha própria companhia . Muito bom ler , ficar em frente à TV, ou diante do computador escrevendo textos “vazios “ como esse.

Da porta da cozinha olho para o fundo do quintal e vejo o canteiro molhado , as plantas silenciosas agradecendo a ausência de vento . Nem sei dizer se ainda saboreiam a carícia dos pingos ou se também não gostariam de uma trégua após tanto aguaceiro .

O pedreiro não veio trabalhar , o agricultor vê suas plantações “afogadas”,  a terra arada levada pela força da enxurrada, o bóia -fria há dias não tem seu ganha pão diário , algumas estradas intransitáveis , outras casas alagadas...

E assim segue Janeiro à beira de seu final , e parece que vai adentrar Março para cumprir o que diz a canção de Tom Jobim : “são as águas de Março fechando o verão"



Dias chuvosos tem essa magia , esse poder de nos remeter ao passado . Fecho os olhos e me vejo diante do rádio ouvindo aquela canção de Demetrius , (anos 60): " O ritmo da chuva "

“Olho para a chuva
 que não quer parar ,
Nela vejo meu amor …

Esta chuva ingrata, 
que não vai parar
Pra aliviar a minha dor..."

https://youtu.be/WRfMaLdw0Vc

Ou então Jorge Ben: 

 "chove chuva
chove sem parar …
Pois eu vou fazer uma prece
prá Deus nosso Senhor
Pra Chuva parar
de molhar o meu divino amor …"

https://youtu.be/RSlnTUJ8JCo

E o dia segue lento e moroso
A chuva a cair evocando lembranças....



terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Quando bate aquela tristeza




Sabe quando tudo parece bem , e de repente uma manhã você acorda e percebe que algo não vai bem com seus sentimentos ?
Uma avalanche de pensamentos negativos surgem como que do nada . Lembranças passadas , frustrações , sensação de abandono …e por aí vai .
Faz-se um esforço enorme para levantar . A vontade é ficar ali quietinha e deixar o tempo correr !
Procura-se falar com Deus , mas os pensamentos se atropelam ! Então melhor ficar calada e apenas murmurar como naquela canção do saudoso Antonio Marcos : “ Eu hoje estou tão triste , eu precisava tanto conversar com Deus ..."
Fico ali calada e deixo que o Senhor leia o meu coração e o tranquilize . Apenas elevo um pensamento : “ Senhor , eu estou aqui e Tu estás aí , conheces meus pensamentos , minhas dores e tristezas . Estou em Tuas mãos .”

Não sei dizer o porquê dessa sensação de abandono , de solidão e até de inutilidade .
Uma sensação pesada e frustrante que vai tomando espaço , vai crescendo um vazio dentro da gente e até uma angústia fica ali rondando e te deixando cada vez mais triste.
Eu não sei dizer o porque de tudo isso , mas é claro que deve ter uma razão escondida . Talvez uma somatização dos acontecimentos da vida , situações mal resolvidas , uma necessidade maior de compreensão e acolhimento

A luta interior é grande para sair daquele torpor que sufoca e asfixia . E é isso que eu acho pior: o esforço para fugir de tudo aquilo que me sufoca acaba por deixar-me irrtada , com um humor horrível e um desejo enorme de fugir de todos .
Quero ficar só com minhas frustrações . E isso me incomoda .Porque sei que algo está errado , e quero corrigir

Mas tenho que me respeitar , respeitar também quem comigo convive ou cruza o meu caminho . Uma psicóloga certa vez me disse : “respeite esse seu mau dia ! Quer ficar sozinha , fique ! Quer ficar recolhida no quarto , fique ! Não é uma situação que vai ser rotineira . Você vai sair deste baixo astral !”



Fernando Piccinini Jr. em seu livro “BOAS PALAVRAS “ também tem uma recomendação para esse  “ mau dia “

Você não tem obrigação de todo dia acordar cheio de luz , bem humorado , irradiando alegria para todo mundo . Mas tem o dever de respeitar o outro , avisando quando não está bem . Simbolicamente , ponha uma plaquinha na sua frente “ HOJE NÃO ESTOU BEM" 
Assim os outros terão mais cuidado ao lidar com você" .

Tenho tentado aplicar esta tática , para evitar más interpretações . Armo -me de coragem e vou logo dizendo “ Hoje não estou bem . Não nterprete mau meus silêncios prolongados" . Quero ficar só , recolhida no quarto . Não é nada com você . É apenas um momento , ou uma fase . Mas logo vai passar ." 

Um , dois , três dias … e quando sinto-me melhor já logo se percebe pela mudança de comportamento . Então também vou logo dizendo : “Já estou melhor , estou me sentindo mais animada hoje “ Dessa forma eu me auto-respeito e respeito o espaço do outro , evito más interpretações .

E assim , novos dias vão surgindo !




quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

HONESTIDADE , um valor em extinção





Esta semana  a mídia trouxe uma notícia que deixou boquiabertos alguns daqueles que dela tomaram conhecimento:

" Uma comerciante a caminho da lotérica para fazer um pagamento , encontrou  pelo caminho uma conta de IPVA com o dinheiro contado em um envelope para o pagamento. Não titubeou : aproveitou que já estava a caminho da lotérica e fez o pagamento da conta encontrada.. E ainda guardou o troco (  2 , dois reais ) para devolver ao dono caso o encontrasse. Aliás, tinha já em mente como encontrá-lo, usando a facilidade de comunicação das redes sociais."

E assim aconteceu ! Notícia postada , pessoa encontrada e  agradecida !
O encontro foi alegre , efusivo e reconhecido
 A mídia , claro, ao tomar conhecimento do ocorrido , fez o maior estardalhaço.

"Imagina ! Nossa ! Oh , difícil encontrar pessoas honestas assim nos dias de hoje . Seria mais comum se tivessem surrupiado o dinheiro e desaparecido no tempo . Afinal, quem ficaria sabendo ?"

O episódio comoveu os moradores da região de Jaboticabal.  Presenciando nos dias de hoje , extorsões de todos os lados , gente se beneficiando do que não é  seu , administrando em benefício próprio. A ânsia pelo poder , pelo enriquecimento ilícito tomou conta de tantos daqueles que deveriam ser o exemplo. As pessoas parecem não mais conhecer critérios do que é certo ou errado .Pilantragem virou sinonimo de esperteza . "O mundo é dos espertos" , dizem alguns mais efusivos.

Mas  Rosângela , a faxineira "honesta " dá um banho de "honestidade" a todos que se julgam os "espertalhões ", e rebate :

" Não fiz mais do que minha obrigação. Não era meu, era dela o dinheiro, era daquele boleto. Eu só fiz o favor de ir lá e pagar prá ela .Eu acho que não fiz nada demais e até estou surpresa com a repercussão , porque não me custou nada .Minha  CONSCIÊNCIA está tranquila " , assim ela explicou.



Toda essa história da vida real me fez lembrar esses versos de Rui Barbosa

"De tanto ver triunfar as nulidades,
de tanto ver prosperar a desonra,
de tanto ver crescer a injustiça,
de tanto ver agigantarem-se os poderes
nas mãos dos maus,
o homem chega a desanimar da virtude,
A rir-se da honra,
a ter vergonha de ser honesto"




Veja notícia completa aqui :







sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Primeira sexta-feira 13 de 2017 : SORTE OU AZAR ?





Hoje é a primeira sexta-feira 13 do ano. Muitos falam que é um dia de azar. Porém, a data é considerada um dia de sorte, sim, para muitos que buscam a solução de problemas antigos.

Segundo a cultura cigana, existem algumas superstições do que se deve ou não fazer em uma sexta-feira 13. Não custa nada tentar!

Mas , antes de escrevê-las vou dizer aqui para os supersticiosos de plantão  duas coisinhas apenas que poderão ajudá-los a vencer esse medo tolo de um dia como outro qualquer :


 -Se cruzar com um gato preto na rua, não se assuste, é apenas um animal que nem sabe que você é supersticioso (a).

 -Não se esqueça que o pensamento positivo atrai coisas boas e boa sorte. Já o pensamento e expectativas negativas atraem má sorte. Deixe pensamentos ruins bem longe de você nessa sexta-feira 13. E tudo ficará em !




Coisas para se fazer em uma sexta-feira 13

– Cortar as unhas numa sexta-feira para evitar brigas amorosas;

– Levar doces a um amigo muito querido ajuda na prosperidade das amizades;

– Quando colocar a mesa, coloque o sal em primeiro lugar. Colocar o sal em cima da mesa é um ritual que serve para dar boa sorte;

– Se deixar cair uma colher, peça a um amigo para apanhar o mais rápido possível. Isso evita brigas em família;

– Se puder, não use moedas no bolso nesse dia, porque na sexta-feira 13 o dinheiro não é sagrado;

– Sentir comichão na sua mão esquerda é indício de boa sorte em uma sexta-feira 13. Sinal de que irá atrair riqueza e receber dinheiro em breve;

– Se mudar para uma casa nova, para se proteger da má sorte e atrair a boa sorte, leve uma escova ou uma vassoura e um pedaço de pão;

– Ponha um laço vermelho num bebê recém-nascido, principalmente se ele não tiver ainda sete dias. Isso vai trazer riqueza para o rebento;

– Não deixe lixo pela porta da frente de sua casa. Se fizer isso, deixará de fora a sua sorte;

– Faça um pedido quando pousar o primeiro pássaro ou ave da manhã. Se ele não voar antes de acabar de pedir o desejo, quer dizer que o seu desejo irá tornar-se realidade;


Espero que você divirta-se com essas crendices . Cresci ouvindo minha mãe e outras pessoas supersticiosas a comentar coisas do género e sempre nos divertíamos muito quando se dizia que não se deve abrir sombrinha dentro de casa porque  tal gesto atrapalharia casamentos . Ah , se tivesse infringido tal "lei " talvez tivesse evitado tantos problemas ....rsss 



LEIA MAIS AQUI:
http://kantinhodaedite.blogspot.com.br/2012/01/refletindo-sobre-sexta-feira-13.html


segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

FÉRIAS NA CASA DA VOVÓ : uma delícia !


Férias na casa da vovó é mesmo uma delícia! Bom para os netos , bom para os avós Todos ganham com essa  , convivência
Tudo vira uma bagunça , tudo fora do lugar ! Vovó tem que pular miudinho, mas tudo é uma  alegria só ! Tudo faz parte do momento !


Avós que aprendem com os netos , recuperam seu humor infantil , suas lembranças de outros tempos...
 Netos que aprendem a se nortear melhor no tempo , aprendem a respeitar os limites próprios da idade dos avós e exercitam seu respeito pelas pessoas mais velhas através desta convivência



e qual a história preferida da Maria Eduarda? Fácil adivinhar não é ?
Aliás , ela que acabou me contando a história , que já sabe de cor e salteado

 Horários fugidios ! Nada melhor do que ficar até tarde lendo histórias com a vovó e depois poder acordar bem mais tarde sem o compromisso do horário escolar.


A ansiedade pela "noite de Natal " ... a espera pelo Papai Noel  , que ainda faz parte da inocência de Lucas e Maria Eduarda . Ah, mas é tão bom participar dessa inocência! Inocência que o tempo absorverá ! Mas , enquanto isso , vamos curtir "papai Noel "

Sem esquecer é claro que é a noite do Nascimento do Menino Jesus . Isso faço questão de frisar . Estamos comemorando o "Nascimento de Jesus que veio trazer paz e amor . para as famílias do mundo inteiro "

E depois que passa a data tão esperada , a alegria continua . São os jogos no campinho , onde o Lucas se orgulha dos novos amigos que fez


as tardes  "na piscina " improvisada ... rsss .Porque prá suportar esse calorão de quase 40 graus só mesmo com os pés na água



Um palmo de água ... mas é o suficiente prá refrescar desse calor intenso ... e depois , muito sorvete ....


os passeios no sítio...

onde a Maria Eduarda adora dar milho às galinhas ...

e a diversão preferida ...






Meus pequenos cavaleiros ! Corajosos e intrépidos ! Comandam muito bem o dócil cavalinho que já parece conhecer seus montadores , embora os encontros sejam esporádicos !

*********************************************************************************

Lucas , Maria Eduarda ! Foram maravilhosos esses dias que passamos juntos .
 Meus dias foram enriquecidos com seus risos , gritinhos , choros  e correria pela casa ...
 Tudo muito tumultuado , mas tudo muito gratificante !A cada vez que esse momento acontece , nossos laços afetivos se estreitam.
 E é assim que pretendo passar o resto dos dias que Deus me presentear . Convivendo harmoniosamente com vocês .
Quero que vocês guardem boas lembranças dos dias passados na casa da vovó Dite .
 Que Deus os abençoe  e os guarde de todos os perigos .
 Contem sempre comigo !

Vovó





quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

BOM PRINCÍPIO DE ANO NOVO


"Bom Princípio de Ano Novo " é uma tradição que existe nas pequenas e pacatas cidades interioranas . Uma tradição que remonta há décadas , mas que tenho percebido que aos poucos está morrendo. Novos modos de vida , a perda das pessoas mais antigas que já fizeram a " viagem " , a desvalorização do conteúdo histórico de um povo ,pelo próprio caminhar da vida com novas exigências e novos interesses . Tudo contribui para que a tradição aos poucos vá ficando apenas na memória de alguns mais antigos .

Aqueles que se preocupam em perpetuar a tradição , se preparam para receber bem as crianças nesse dia , que logo na manhã do  Primeiro Dia do Ano, já estão às portas com seu inconfundível cumprimento:

" Feliz Ano Novo !" grita a criançda de longe , lá no portão, logo bem cedinho
Alguns abrem a porta e logo vão distribuindo "os pacotinhos" de guloseimas cuidadosamente já preparados na véspera. 
Outros ignoram , sentem-se incomodados .

Que pena ! Uma tradição antiga que deveria ser bem aceita , pois faz parte de nossa cultura  . Não podemos deixar morrer, porque um povo sem cultura , sem tradição é um povo sem vida , sem história, sem passado . E é de passado que se constrói a história de um povo 


Então , 


Você atendeu a uma criança que bateu à sua porta na manhã do primeiro dia do ano?
, Parabéns! Bom Princípio de Ano Novo a você também !

"Eu analiso que simbolicamente a saudação" Bom Princípio de Ano Novo " deve representar acolhimento, aceitação, partilha.

Deve significar que um bom ano é feito de partilha e solidariedade entre os irmãos.
É preciso saber cultivar a paz, e isto começa ao nosso redor, a partir da vizinhança.
Crianças bem acolhidas, sorriso estampado no rosto, mostra que podemos fazer a alegria do próximo. Alegria que faz brotar felicidade e esperança.


Criança sugere que devemos ter atitude, passar das palavras à ação.
Porque um bom Ano não se ganha. Mas se conquista, se faz semeando a cada dia, tecendo cada semana, construindo cada mês e assim procurando viver melhor e com  propósitos mais elevados que levem à união e à paz.




Leia mais sobre a tradição e origem , clicando no link abaixo 

domingo, 1 de janeiro de 2017

12 atitudes positivas para um feliz Ano Novo



Ano Novo nos convida a uma vida nova, conheça 12 atitudes positivas para um ano feliz 

1 –  Adicione fé e esperança aos seus sonhos. Todo sonho precisa ser alimentado, caso contrário ele será apenas uma teoria.
2 – Nas encruzilhadas da vida, peça orientação ao Espírito Santo. Não queira resolver sozinho seus problemas; deixe espaço para que Deus participe de suas decisões.
3 – O diálogo é a base para uma convivência pacífica e saudável. Coloque as cartas na mesa quando algum problema surgir. Falar com respeito é melhor do que silenciar com ódio.
4 – Contemple as estrelas quando estiver estressado. O brilho que elas emanam faz com que se lembre que, mesmo em meio às trevas, o amor de Deus nos acompanha e ilumina os nossos caminhos.
5 – Se cruzar com um gato preto na rua, não se assuste, é apenas um animal que nem sabe que você é supersticioso (a).
6 – Comece cada dia deste novo ano com o pé direito: acredite em você mesmo, lute por seus ideais e faça o bem sem esperar retorno.
7 – Para conquistar um amor de verdade, tome um banho de dignidade e autoestima. Seja verdadeiro (a) com seus valores e acredite que uma vida a dois é fruto de um caminho de conhecimento, diálogo e partilha.
8 – Use folhas de louro para fazer uma deliciosa feijoada para os amigos. E não se esqueça de me convidar!
9 – Use e abuse das cores amarelas. Garanto que não vai lhe trazer dinheiro, mas, com certeza, vai lembrá-lo que dinheiro não cai do céu e Deus ajuda quem cedo madruga!
10 – Nozes, avelãs, tâmaras e castanhas são ótimas para a saúde. Contudo, elas não trazem fartura, a não ser para o seu peso se forem consumidas em excesso.
11 – Para nunca faltar dinheiro, trabalhe com seriedade, não gaste com supérfluos e não faça contas maiores que o seu salário.
12 – Para ter paz não precisa usar a cor branca, basta apenas ter consciência de que a paz começa com seus gestos, palavras e atitudes