sábado, 16 de novembro de 2013

O caso Joaquim




Joaquim Pontes Marques , 3 anos de vida. Uma vida roubada, arrebatada brutalmente até agora não se sabe por quem.

um caso de crueldade praticada contra crianças. Assassinato, onde os suspeitos são a mãe e o padrasto. Familiares que deviam protegê-lo.
Incrível, abominável! Inaceitável! Que teria feito Joaquim de tão grave para merecer ser arrebatado da vida de forma cruel e ardilosa assim em idade tão tenra?
Há pouco tempo descobriu-se que Joaquim era diabético. Necessitava de aplicações de insulina periodicamente. O padrasto Guilherme Longo auxiliava a mãe nesta delicada tarefa. A mãe , Natália Mingoni- psicóloga, o que me espanta, conheceu Guilherme numa clínica de recuperação para drogados onde clinicava. Por ele se apaixona , juntos vão morar e nasce um segundo filho do casal.

Mas a mãe, psicóloga, não considerou a possibilidade de que Guilherme, o bem amado, pudesse ter uma recaída no uso de drogas. Inevitavelmente foi o que aconteceu. Então os problemas se acentuaram.
Há a suspeita de que as aplicações de insulina no garoto não eram observadas conforme orientação médica. 
            
Guilherme desapareceu na madrugada do dia 5, quando a mãe deixou o padrasto encarregado de fazer a aplicação de insulina no “seu filho” e , cansada foi dormir.

Ao despertar na manhã seguinte , ali pelas sete horas deu pela falta do garoto. Dormiu a noite toda, tendo também um bebê de 4 meses além do filho diabético. Não viu nada. Impressionante!!!
Estaria Natália escondendo fatos que levariam ao conhecimento da verdade? Qual seria a razão para tal comportamento?.
Medo da reação do marido, ao qual ela classificou de violento e ciumento em algumas declarações?
Mas e o filho encontrado morto 5 dias após o desaparecimento nas águas do Rio Pardo ha mais de 100 km de casa?
E as investigações que confirmaram que Guilherme foi jogado no rio já morto. Portanto ele foi levado de casa, por alguém ali de dentro e com destino certo..
  Existe muitas declarações contraditórias no caso, que a polícia está tentando solucionar.
 
Não quero fazer julgamento precipitado, mas segundo as investigações tudo leva a crer que o assassino é o padrasto e a mãe , cúmplice do mesmo.Pelo menos a polícia considera os dois os únicos suspeitos.
Como no caso de Isabella Nardoni , 5 anos,jogada pela janela do 6º andar do edifício London (SP) em 2008 , tudo leva a crer que não teremos uma confissão.
Apenas indícios, provas contundentes que poderão condenar os culpados.
Ana Carolina Jatobá e Alexandre Nardoni, , madrasta e pai de Isabella Nardoni foram condenados.
Guilherme Longo e Natália Mingoni padrasto e mãe de Joaquim também poderão vir a ser .. Tudo leva a crer que sim, mesmo que não confessem o crime.
Mas fica a tristeza dos amigos e familiares que de forma desumana e covarde foram abruptamente privados do convívio de vidas ainda desabrochando. Vidas que tinham tanto ainda a oferecer. Alegrias e conquistas que não puderam ser vividas.
Sonhos interrompidos... 



Poderá se interessar por:








5 comentários:

  1. Caso triste demais esse,Nem me faz bem só de pensar! Tragédia ver fatos assim, inocentes vidas sendo tiradas! Pena! beijos,lindo fds!chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Triste demais. E ainda a midiafaz sensacionalismo. Aproveita a dor humana para acentuar a tragedia. Tragico d+. Criancas vitimas da covardia dos adultos , monstros. Lobos em pele de cordeiro....

      Excluir
    2. Eu nao consigo ficar sem manifestar o meu repúdio. E e aqui nesteblog q eu encontro espaço para manifestar o meu desabafo. Bjs . Bfds.

      Excluir
  2. Confesso que não li todo o seu post pq já li sobre o assunto... e dada a tristeza do ocorrido, não vou ler mais nada... apenas quero comentar que crimes assim SEMPRE existiram e de criança eu já ouvia um e outro caso aqui e ali... isso no Brasil, depois de adulta nos EUA... França...Portugal... Itália... Alemanha...Brasil... e por aí vai... não que eu tenha morado em todos esses países, mas com TV a cabo não existe distância pra chegarem as notícias. Faz pouco no Brasil teve o caso da menina Isabela... ou talvez eu esteja equivocada com o nome. Nos EUA 1-2-3 crimes assim acontecem. Não é a natureza humana ficando pior e sim a natureza humana se perpetuando no mal que a conduz desde sempre. Eu sei que existe a bondade, e acredito na bondade; porém o mais que eu comento è vero...
    Paz

    ResponderExcluir
  3. É realmente um caso muito triste. Mais uma criança vítima da ira e covardia de adultos. Eu, confesso, estremeço cada vez que vejo fotos do menino Joaquim sempre sorridente. Uma criança que parecia "feliz". Assim que vejo as fotos lembro logo do meu neto também com a mesma idade. Seu sorriso, sua inocência, sua brejeirice.... Deixa prá lá...
    Mas falar, ou melhor escrevendo sobre o caso eu me extravaso.

    ResponderExcluir