terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

"Comer, Rezar e Amar"

O Filme...

 Eu sempre quis ler o livro de Elizabeth Gilbert: “Comer, rezar e amar”

Há um tempo atrás, numa loja de departamentos, estive com o exemplar em mãos pronta para adquiri-lo.

Minha filha acabou por me desestimular, uma vez que já havia assistido ao filme e o mesmo não havia correspondido à fama propagada Pois bem , um pouco contra a vontade acatei seu palpite.

Mas, dentro de mim,,pensava: como pode uma obra que vendeu mais de 4 milhões de exemplares não corresponder àquilo que se esperava?

Tempos depois, passando em frente a um sebo universitário, vi-o exposto bem à mostra numa banca na entrada da loja. Não tive dúvidas, comprei-o impulsivamente. Trouxe-o para casa. Finalmente ia realizar o meu sonho de leitura. Mas não foi desta vez também. Coloquei-o na fila de espera de “livros para serem lidos quando tiver tempo”.

E lá ficou ele no aguardo que nunca chegava. Até que novamente o acaso conspirou a meu favor. Novamente , numa loja de departamentos dei de cara com o filme em DVD. Agora não haveria desculpa. Impossível eu não encontrar duas horinhas do meu tempo para ver um filme.
 

Comprei-o imediatamente, e num domingo à tarde instalei-me confortavelmente à frente da TV para realizar o meu sonho de consumo.

Frustração total. O filme não preencheu minhas expectativas.

Apesar de ser protagonizado pela linda Júlia Roberts, inesquecível de tantos sucessos entre eles “uma linda mulher”, “o casamento do meu melhor amigo” e tantos outros, o filme transcorre morno e sem emoções.

Conta a historia real vivida pela autora do livro ,Elizabeth Gilbert, que aos 30 anos, depois de 8 anos de casamento e uma vida estabilizada começa a sentir-se incompleta e vazia. . Precisava se renovar como pessoa . E para isso o primeiro passo seria terminar seu casamento para livre e independente sair em busca do equilíbrio. “ Não quero mais estar casada" dizia ela para si mesma. Tinha tudo que uma mulher americana moderna bem casada , ambiciosa e bem sucedida poderia querer: marido, carreira de sucesso, casa de campo, uma situação financeira estável. Mas não se sentia feliz. Mas tudo isso é expresso no filme de forma monótona e sem emoção.

Foi então que em estado depressivo acentuado pelo árduo processo de divórcio, um namoro mal sucedido, ela se liberta das opiniões alheias , abre mão de posses materiais e se lança à aventura: um ano viajando ao redor do mundo à procura de seu eu, à procura do equilíbrio espiritual e à procura do verdadeiro amor.

Um enredo que merece atenção, mas acredito mal produzido. Nada disso faz de “comer, rezar e amar” um grande filme.

Mas a frustração não me tirou o desejo de ler o livro. Pelo contrário, estimulou-me. 
Não consigo entender como uma grande obra comprovada pela aceitação em numero de vendagem se transforme em um fracasso assim generalizado ao ser reproduzido cinematograficamente..
  O livro é realmente bem melhor . Com uma leitura atraente , envolve o leitor como se  a autora estivesse conversando com sua melhor amiga/o.

" É como se fosse o diário de sua amiga mais perceptiva e engraçada  , descrevendo encontros com curandeiros , ex- viciados e homens lindos e gentis"( Glamour)

Uma dica:  se houver interesse pela obra  aconselho que sigam a ordem livro/ filme  e ficarão muito mais satisfeitos.














12 comentários:

  1. Eu não vi o filme, nem li o livro, apesar de tão falado! Muitas vezes nos frustramos,não? Deixo um beijo e tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi o que aconteceu Chica. Frustrei-me com o filme, mas estou amando o livro . Nele as emoções da autora estão mais em evidência.

      Excluir
  2. Oi Edite...como gosto de te ler...ainda não li esse livro, apesar de muito comentado...mas, vc me atiçou... Quem sabe eu não reserve um tempo para essa leitura, dando um tempinho de livros de 'catequese'...srrsrs...grande abraço!

    *Edite, retire essa verificação para comentar...isso dá um tédio danado...rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb gosto de estar antenada com exemplares da catequese e também uso bastante a net para esclarecimentos, mas qdo dá reservo um tempinho para outras leituras mais descompromissadas.

      Excluir
  3. Poucos fimes fazem jus à obra literária que os originou.
    É verdade que personagem de nacionalidade brasileira no livro, no filme foi intepretado por um ator espanhol? Se foi isso mesmo, que furada... duvido que não houvesse algum bom ator brasileiro para o papel.
    Paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Paz. Javier Bardem , um espanhol foi o interprete do brasileiro Felipe no filme em questão. Talvez Rodrigo Santoro, nosso ator brasileiro que atua internacionalmente não estivesse disponível? Ou não estive à altura do papel ?

      Excluir
  4. É um dos filmes que nunca cheguei a ver e agora ainda com mais interesse fiquei...

    Beijinho amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que consegui te estimular. O livro é realmente bom. Apenas o filme não corresponde à obra literária. Mas vale conferir

      Excluir
  5. Edite, veja que legal como projeto pro seu grupo de Evangelização... marcador de livro... ela sugere uma folha de papel menor do que demonstra... sugere 10cm x 10cm http://www.youtube.com/watch?v=IqlBicMAOEc&feature=youtu.be
    Paz


    Que legal, hein? Ela sugere uma folha menor do que ela demonstra… sugere 10cm x 10cm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já colei o endereço e vou verificar . Retorno depois com minha opinião. Bjs

      Excluir
  6. Olá, tudo bem? Não assisti ao filme, mas parece ter sido bem badalado.... Nem o livro tb eu li... Bjs, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se tiver oportunidade, confira . Vai gostar mais do livro que do filme que não correspondea obra literária. Bjs

      Excluir