terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Impprudência no mar


Um dos mais belos presentes da mãe natureza em nossa opinião é o oceano ou o mar como muita gente conhece.
Nos últimos dias, vimos o que jamais poderiamos imaginar  acontecer, por causa de uma ” pequena exibição de machismo ” por talvez, uma pura vaidade , um menor matou uma garotinha em uma praia do litoral brasileiro.
O pai do adolescente e dono do jet ski tratou imediatamente de providenciar a fuga – tanto sua como do filho. De acordo com a Capitania dos Portos, é preciso possuir habilitação para pilotar jet skis, tendo passado por aulas práticas e testes psicológicos. Mas as leis, nas águas brasileiras, não são fiscalizadas e tragédias como a de Grazielly se repetem a cada ano.
"Aqui no Brasil é assim.. O menor rouba , fuma maconha, crack, assalta , vota e ainda  mata inocentes pilotando veículos automotores sejam em quaisquer circunstancia.
Até quando , hein ? Até quando a sociedade brasileira continuará orfã das nossas autoridades judiciais e a impunidade continuará reinando em nosso País ?


Heriberto Florêncio Filho


Era a 1ª vez que a pequena Grazielly visitava a praia. Conhecer o litoral era seu sonho.
 Um sonho realizado... uma vida interronmpida brutalmente.
 Todos clamam por justiça! Questionam a atitude dos pais, a falta de limite dos filhos.
Jovens que deveriam representar alegria, inovação, esperança... Acabam trazendo tristeza, destruindo o sonho de muitas famílias, destruindo os próprios sonhos.
 Nada trará de volta a vida da pequena Grazielly... seus pais não serão os mesmos a partir dessa tragédia.
 

3 comentários:

  1. Que triste fato!! Tomara, pelo menos,seja feita JUSTIÇA ainda que a pequeninha não volte mais! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Pois é Edite, porém temos que usar a razão para não deixarmos que nossa emoção fale mais alto e sejamos injustos ao julgar essa outra criança...

    Concordo plenamente que há de se fazer justiça, que a família e o garoto têm que ser punidos pela morte da garotinha, pela falta de responsabilidade de um menor está pilotando o jet ski e, principalmente, pela fuga do local sem prestar socorro à vítima e sem dar apoio à família.

    Agora busquemos a justiça, não vingança.

    Não esqueçamos que foi uma fatalidade - e eu concordo que se houvesse tido responsabilidade, essa fatalidade teria sido evitada - mas, não houve intenção de matar.

    A família jamais deveria ter fugido do local, mas na hora do desespero vai saber o que se passa na cabeça das pessoas...

    E, sim, que haja justiça.

    Não se pode deixar que um crime brutal desse fique sem punição, assim também como não podemos passar por cima das leis e querer julgarmos, nós mesmos, o garoto e sua família.

    Por favor, todos que lerem essas minhas palavras, não estou, em hipótese, alguma defendendo os algozes que destruíram uma família inteira, só estou alertando que devemos ser racionais em nossos julgamentos.

    Obs.: Edite, também fiz um texto sobre o assunto em meu blog.

    ResponderExcluir
  3. Concordo plenamente com vc Ana. Que seja feita justiça. Mas que se olhe também o outro lado, a falta de segurança nas praias conciliada com a falta de fiscalização, os irresponsáveis que "forneceram" o jet sky e por aí vai. Imagine o susto do garoto qdo viu o estrago que fez, o desepero dos pais e etc...Tb não estou defendendo o garoto nem tampouco sua família, mas como vc disse, justiça seja feita e não vingança.Que sirva de alerta p/a uma melhor fiscalização neste âmbito, com regras mais severas quanto a dirigir tal veículo.

    ResponderExcluir