terça-feira, 21 de janeiro de 2014

chove lá fora...



Gosto de falar da chuva
Chuva que inspira poesia
chuva que também traz nostalgia
Ao evocar doces lembranças
Lembranças de um mundo
que é só meu

Chuva que bate na janela
num ritmo cadenciado
embalando os meus sonhos
Chuva fina, chuva mansa ,
chuva que lava a calçada
e também lava minh'alma

Me aconchego nos lençóis macios ,
Tentando prolongar
a letargia daquele momento

Na TV, o noticiário da manhã
Vem interromper o encanto
daquele doce momento
De repente o que era poesia
vira triste tragédia
São muitos os desabrigados
pela chuva da madrugada

Muitas vidas perdidas
Estradas que já não existem mais
Casas e sonhos destruídos

Fecho os olhos
na escuridão do quarto
Porque tem que ser assim
Deus meu?
Eu aqui tão protegida
e tantos na incerteza do amanhã

Ainda chove lá fora
chove também aqui dentro...
De repente tudo ficou frio...
vazio...
sem sentido...







2 comentários:

  1. A chuva tem feitos grandes e tristes estragos,Pena!Que ela venha sempre suavemente. bjs praianos,chica

    ResponderExcluir