domingo, 5 de agosto de 2012

Dias difíceis


orientar na fé é orientar para a vida

Fazendo uma auto-análise, tenho percebido que ultimamente meus escritos estão um pouco inflamados demais. Tenho falado muito em valores trocados ou invertidos. Época em que impera o individualismo e a cultura do imediatismo.
Dias difíceis, dizem alguns, em que a humanidade caminha para o abismo sem se dar conta de que o caminho embora largo e espaçoso pode ser irreversível.
Tenho percebido , nos encontros semanais com meu grupo de pré-adolescentes na catequese, o quanto todo esse caos de violência e desrespeito pela vida que presenciamos nos dias de hoje tem afetado negativamente o pensar e o agir desses jovens.
Encontram-se confusos, não sabem que rumo tomar diante dessa escalada de valores pós -modernos que perpetua na sociedade atual.
Tudo me é permitido, mas nem tudo me convém”, diz esta passagem bíblica (I Cor: 6,12).
 Mas acabam sendo atraídos pelo que “não convém”, ignorando as consequências danosas que poderão advir de seu comportamento.
O catequista precisa ter muita cautela em conduzir os encontros. Mesmo  diante de tantas  coisas  ruins acontecendo, quando tudo parece não ter mais jeito, nossa missão é semear esperança, fazendo com que  percebam as trevas, tenham  uma consciência crítica dos fatos e queiram ser agentes transformadores, na força do Espírito”. ( Imaculada)
Eu não posso escutar de suas bocas desabafos como:
O mundo está perdido”, “Nunca haverá paz neste mundo” De que adianta trabalho de evangelização quando tantos estão se drogando e se matando” .
Diante disso, não dá para fingir que nada está acontecendo. Não posso passar por cima de suas dúvidas e anseios. Vejo nessas falas um pedido de “socorro”.
Catequese é orientação na fé. E orientar na fé é também orientação para a vida. Uma vida de bons princípios , de amor e de esperança. Não posso deixá-los acreditar que a paz é uma utopia.

O Evangelho tem a capacidade de «iluminar e orientar a solução de questões vitais para o futuro da humanidade», depositado «nas mãos daqueles que são capazes de transmitir às gerações de amanhã razões de vida e de esperança». ( Bento XVI)

A vida que nasce todo dia é sinal de que este mundo tem jeito sim e investir na qualidade e respeito à vida sempre foi e será primordial. Enquanto vivermos temos não só acreditar no amanhã como também colocar em prática aquilo que sabemos e aprendemos a cada dia.

O agir preocupando-se com o bem estar do outro acarreta nossa própria transformação e independe do segmento religioso, cristão ou não. Depende sim de nossa consciência e responsabilidade em levar com comprometimento sério a missão a que viemos.


2 comentários:

  1. Caríssima Edite,

    O mundo está perdido desde que é mundo...

    Mas, assim como há as pessoas que destroem, há também as que constroem.

    E, desde sempre, "o bem sempre venceu o mal".

    Somos 7 bilhões de habitantes, se todos fôssemos esse desatre todo, o mundo já teria se acabado.

    Acontecem muitas coisas ruins, sim, mas pode ter certeza, o número de coisas boas acontecendo é superior!!!

    O problema é que só vira manchete o que é desgraça...

    Sigamos com esperança, transmitindo otimismo às pessoas que nos rodeiam, sejam elas crianças, adultos ou idosos.

    Nossa missão é, pelo menos tentar, melhorar o mundo em que vivemos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito sábias suas palavras ,Ana. Temos que acreditar sempre. Nunca perder a esperança.Transmitir otimismo e esperança é fundamental. Bjs...

      Excluir