terça-feira, 24 de julho de 2012

Compaixão? Um sentimento esquecido e pouco valorizado


Jesus usa de compaixão pelo povo

O agir preocupando-se com o bem estar do outro acarreta nossa própria transformação e consequentemente a transformação da sociedade”

Não se pode encontrar a felicidade enquanto a nosso lado existir o sofrimento de outros seres”

Atentos ao significado profundo desses dizeres e refletindo sobre elas chegaremos a uma palavra chave: COMPAIXÃO

De acordo com a Wikipedia, compaixão(do latim compassione) pode ser descrito como uma compreensão emocional de outrem. Combina-se a um desejo de aliviar ou minorar o sofrimento de outra pessoa, bem como demonstrar especial gentileza com aqueles que sofrem. Em resumo, é não ter indiferença frente ao sofrimento do outro e deve nos levar à ação.
Os infortúnios, as maldades os desrespeitos com a vida e com o planeta, não deve apenas indignar-nos. Ocorre que ao tomar conhecimento de tantos infortúnios, fatos que consideramos inconcebíveis e inacreditáveis, sejam eles ocorridos em qualquer lugar do mundo ou mesmo a nosso redor, nossa primeira reação é de incredulidade, indignação, amargura e até tristeza.
Essa reação não acontece só conosco . As autoridades se comovem, choram, prometem soluções. Passado o momento de gestos e palavras inflamados, a vida volta ao normal. Cruzam-se os braços e a vida retoma sua rotina, voltamos às nossas tarefas diárias, a nossos compromissos até que outro fato venha novamente nos despertar para a indignação.
É essa indiferença, esse comodismo que faz com que a violência e tantas outras maldades se torne lugar comum em nossas vidas.
A compaixão exige de nós uma ação. Que grande parte das autoridades políticas não governam com compaixão pelo povo , isto já sabemos. Podemos constatar isso em vários setores públicos como a saúde e educação tão precárias no país e a insegurança que perpetua na sociedade gerada por tanta violência gratuita. Cada qual está voltado para seus próprios interesses.
Mas, não podemos ficar esperando que soluções venham somente do alto poder.
Precisamos acabar com essa espiral de indiferença, sair do comodismo, refletir sobre os acontecimentos diários e criar um cordão energético de boas ações que levem a uma transformação na sociedade. Não nos acostumemos com a maldade. O homem nasceu para fazer o bem, volto a repetir. Somos imagem e semelhança de Deus , portanto nascemos para cuidar bem desse planeta e viver bem com os outros.
E a compaixão é um desses sentimentos que deve ser cultivado e lapidado constantemente. O mundo está carente de compaixão pelo ser humano, pelos animais e pelo planeta que também sofre as consequências da ação do homem.
Não vamos sozinhos consertar o mundo. Mas podemos fazer dele um lugar melhor e mais habitável para deixar como herança para nossos filhos e netos. Somos um pequeno grão de areia, uma gota neste oceano imenso (http://kantinhodaedite.blogspot.com.br/2012/06/sou-uma-pequena-gota-no-oceano.html.) Mas pequenas ações juntas, somam-se grandes ações.
É fazer a corrente do bem, olhando para aquele que está mais próximo de nós.
É cuidar de nossos jovens, crianças, doentes, idosos, gestantes e de toda classe desfavorecida. Apoiar os movimentos sociais e se possível engajar em alguma delas.
Aquela tragédia que aconteceu lá bem distante de nós e que a TV usa para aumentar seu ibope, use-a para reflexão. Não podemos resolver aquele assunto trágico fora de nosso alcance. Mas podemos ter atitudes preventivas que evitem maiores descaminhos.

Eu acredito na transformação do mundo. E você? Então, não desista e nunca perca a esperança. Comece colocando em prática o sentimento da COMPAIXÃO, um pouco já esquecido e pouco valorizado. 24/07/12 09:21:30.

Nenhum comentário:

Postar um comentário